Restaurantes e bares de Niterói ainda sofrem com pouco movimento

Após a flexibilização para reabertura dos restaurantes e bares de Niterói os empresários estão comemorando a volta gradual da normalidade. Mas apesar do panorama estar mais positivo a meta de vendas ainda está longe de ser alcançada. Os clientes ainda optam pelo delivery e o clima de quem está frequentando esses espaços não é mais o mesmo.

O presidente em exercício da Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL-Niterói), Manoel Alves Júnior, explicou como os comerciantes estão se sentindo com essa retomada.

“Esse segmento melhorou um pouco mas na realidade estava tudo fechado e somente trabalhando com delivery. Mas ainda está muito fraco. Existe sim a ansiedade das pessoas voltarem a consumir nos restaurantes e frequentarem um bar, por exemplo, mas o horário está muito restrito. Os comerciantes desse movimento estão solicitando ampliação do horário para não ter justamente a aglomeração. O horário não está satisfatório para voltar ao normal. Foi um dos últimos segmentos que reabriram. Essas pessoas envolvidas passaram por um treinamento da prefeitura sobre as novas normas, que estão sendo cumpridas. A gastronomia em Niterói é muito forte e temos certeza que vamos voltar aos índices de venda como em outras datas, como no início do ano”, frisou.

Durante a semana o vereador Luiz Carlos Gallo (Cidadania) levou o assunto ao plenário e apresentou a indicação 1091/2020 que foi uma solicitação da flexibilização do horário de fechamento dos restaurantes de meia-noite para 1h. Atualmente os restaurantes têm autorização para abrir entre 11h e 23h, incluindo sábados, domingos e feriados. Já as cafeterias e lanchonetes podem funcionar entre 7h e 20h, cumprindo todos os protocolos de higiene e distanciamento social determinados pela Prefeitura de Niterói, segundo nota da Prefeitura de Niterói.

Daniel Holanda, sócio e chefe de cozinha de um restaurante, diz que desde a reabertura, em meados de julho, teve que adaptar o empreendimento para diminuir a possibilidade de contágio do coronavírus. O movimento está abaixo dos 30% quando comparado com o funcionamento antes da pandemia mas foram reduzidas as mesas, de 120 para 60, além de terem retirado as toalhas e guardanapos de tecido.

“Estamos lavando nossas louças na máquina profissional que chega aos 92ºC além do básico de aferição de temperatura e tapete de higienização. O movimento está baixo e percebemos que nosso público, que é mais idoso, não está com esse desespero de sair e o movimento está baixo”, exemplificou.

Outro exemplo acontece em um restaurante de Icaraí, que está com mais vendas através do delivery do que presencialmente, A empresária Alda Francisca explica que os clientes estão tranquilos e se adaptando também para essa nova forma de consumo.

“O que mais movimenta a casa é o forró mas está suspenso por enquanto. Fizemos também o distanciamento de dois metros entre as mesas e uma sanitização com toda segurança em todos os ambientes. O uso de máscaras também é obrigatório e só podem ser retiradas nas mesas para comer”, frisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × cinco =