Restaurante popular de Niterói será reaberto dia 2

Aline Balbino

O Restaurante Popular Jorge Amado, no Centro de Niterói será reaberto no próximo dia 2 de janeiro. A Prefeitura de Niterói administrará o local por um ano, com um investimento de R$ 3 milhões. O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, garantiu que será servida uma comida de qualidade. É importante lembrar que nos últimos meses os clientes do estabelecimento reclamavam do cardápio repetitivo e menos nutritivo. Há mais de três meses a comida servida era arroz, feijão, ovo e salsicha. O preço da alimentação será o mesmo: R$ 0,50 para o café da manhã e R$ 2 o almoço.

Segundo Neves, inicialmente não haverá licitação para a escolha de uma nova empresa responsável pela confecção dos alimentos. Atualmente, a Cozinha Carmense é a responsável pela alimentação no local. Dados da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos apontam que o Restaurante Popular Jorge Amado serve diariamente 750 cafés da manhã e 2.250 refeições. O café da manhã vai das 6h às 9h e o almoço das 10h às 15h.

“É inaceitável em um momento de grave crise, no qual as pessoas estão ficando desempregadas, passando muita necessidade, o restaurante popular tenha sido fechado. Ele mata a fome de milhares de pessoas, inclusive de servidores públicos de várias cidades e do Estado. Precisamos olhar por todos e proteger as pessoas que mais precisam. Vamos apertar os cintos, reduzir cargos comissionados, revisar contratos, promover ajustes estruturais, um novo ciclo de reformas para melhorar a administração pública, mas nunca vamos deixar de atender e olhar para aqueles que mais sofrem com essa crise geral. O restaurante popular será reaberto, inclusive, com um atendimento melhor”, declarou.

O ambulante Cristiano Almeida, de 29 anos, é cliente assíduo na unidade. Ele disse que o restaurante faz falta. “Eu acho que a comida tem que melhorar, mas estamos sentindo muita falta. Muita gente comia aqui e agora deve estar passando fome”.

Alessandro dos Santos, de 26 anos, também frequenta o local. Ele reclamou do cardápio, que estava bastante deficiente nos últimos meses. “A comida estava muito fraca. Muita gente de rua vem aqui e é bom reabrir. Muita gente precisa”.

A Secretaria de Estado de Assistência Social informou que espera apenas um comunicado oficial da prefeitura para formalizar a transferência de gestão. A Cozinha Carmense, administradora do restaurante, informou que não irá se pronunciar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × três =