Reprodução simulada da morte de João Pedro é realizada hoje no Complexo do Salgueiro

Agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) e do Ministério Público (MP) realizam, na manhã de hoje, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, um trabalho de reprodução simulada da morte do adolescente João Pedro. O jovem morreu baleado, durante uma operação conjunta de agentes federais e da Polícia Civil, no dia 18 de maio desse ano.

Os agentes se reuniram na sede da DHNSG, em Niterói, antes de seguirem para São Gonçalo, sob forte aparato policial, inclusive com veículos blindados. O caso teve grande comoção e a reprodução de hoje contará coma participação de familiares de João Pedro e testemunhas.

No dia 9 de junho o reprodução simulada havia sido adiada após uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), que proibiu operações policiais em comunidades do estado enquanto persistissem as medidas de isolamento social. Também, esse ano, o então titular da DHNSG, delegado Allan Duarte foi afastado do procedimento, antes da remarcação para essa quinta-feira.

João Pedro foi baleado e morreu, quando os agentes entraram numa residência, onde João Pedro estava, alegando estarem perseguindo traficantes, e na ação o jovem foi atingido por um tiro de fuzil, morrendo após ser socorrido e levado de helicóptero para a base da Coordenadoria de Recursos Especiais, da Polícia Civil. Se estivesse vivo, João Pedro teria completado 15 ano dia 23 de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − três =