Região sofre efeitos do desabastecimento

Raquel Morais –

Mesmo após reuniões entre a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) e representantes do Governo do Estado, redução do preço do diesel em R$ 0,46 nas bombas e da gasolina em 2,8% nas refinarias, os caminhoneiros permanecem nos acostamentos da BR-101 e da RJ-106. Apesar de afirmarem que a paralisação continua e que eles não vão ceder às propostas governamentais, parte da categoria desocupou a RJ-104, na altura de São Gonçalo. Postos de combustíveis continuam trabalhando apenas com Gás Natural Veicular (GNV) e muitos deles tinham enormes filas na tarde de ontem, provocados pela notícia da possível chegada de caminhões tanques, o que não aconteceu. Estabelecimentos comerciais permanecem oferecendo menos opções de frutas, legumes e verduras, e o transporte público continua reduzido.

Na BR-101 a situação permanecia a mesma ontem e os caminhoneiros afirmam que não vão ceder às propostas. “As pessoas que estão nessa negociação não representam os caminhoneiros. Estamos lutando para todos os brasileiros e vamos continuar assim até que nossas reclamações sejam ouvidas e solucionadas”, comentou o motorista Jorge Souza, 57 anos. O colega de estrada Ronaldo Pelonio, 36 anos, disse que R$ 0,46 não significa nada perto do que a categoria está exigindo. “Tivemos que dar um basta nessa situação. Vamos lutar e a população está com a gente”, pontuou.

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência no Estado do Rio de Janeiro (Sindestado-RJ) informou que nenhum posto estabelecido no interior fluminense recebeu carregamento de combustíveis e que a partir do momento em que os postos começarem a ser reabastecidos, estima que a normalização pode levar até sete dias. Reflexo disso é que nenhum posto em Niterói e São Gonçalo está trabalhando com gasolina, etanol e diesel, apenas o GNV está sendo comercializado.

Em Niterói, boatos nas redes sociais levaram centenas de motoristas a postos que não tinham combustível. Em um deles, na Rua Paulo César, em Santa Rosa, os carros se aglomeraram pelas ruas no entorno, mesmo depois de serem informados de que não havia previsão para a chegada dos caminhões.

“Já avisamos, mas os motoristas não saem daqui. Os caminhões que viriam pra cá não conseguem sair da Reduc. Espalharam que aqui tinha gasolina, mas não há previsão ainda”, disse o encarregado Francisco Simões.

A situação era parecida em um posto na Avenida Jansen de Mello, no Centro, próximo à subida da Ponte Rio-Niterói. A fila de carros chegou a dobrar o quarteirão, se estendendo (pela contramão) até a Rua São Lourenço. Segundo um funcionário, um caminhão, apenas com gasolina, estrava a caminho, mas fora interceptado por uma manifestação na altura de Itaboraí. Um carro da PM esteve no posto e pediu que os motoristas deixassem a fila para liberar o trânsito.

BARCAS
A CCR anunciou nesta segunda-feira (28) que as barcas que fazem a travessia Niterói-Praça XV não funcionarão na quinta, sábado e domingo. Nesta terça (29) e quarta (30), os intervalos entre as viagens no período do rush (das 6h30min às 10h e das 16h30min às 20h10min) serão de 20 minutos, e nos demais períodos serão de 30 minutos; no dia 1º, as travessias acontecerão a cada 30 minutos.

Nesta segunda, o normal seria ter partidas a cada 10 minutos, mas sem combustível o tempo dobrou. “Achei que teria alguma dificuldade para embarcar, estava com medo de não chegar ao Rio, mas consegui pegar a barca sem grandes problemas”, contou Raquel Farias, de 32 anos. No sentido Charitas-Praça XV, as viagens programadas para as 10h30min e 11h30min não foram realizadas e, no sentido contrário, as viagens programadas para as 11h e 12h foram canceladas. Os demais horários permanecem inalterados.

EDUCAÇÃO
As aulas nas escolas municipais de Niterói serão retomadas na próxima segunda-feira (04). Apesar do fornecimento de gás das unidades educacionais já estar restabelecido, o fornecedor de alimentos e insumos notificou a prefeitura a impossibilidade de normalizar o serviço nesta semana. No último domingo, a Prefeitura de Niterói conseguiu a liberação de quatro carretas de combustível para o funcionamento dos serviços municipais durante esta semana. A coleta de lixo está mantida, todas as unidades de saúde estão abertas e o apoio às forças de segurança está em operação.

A Prefeitura de São Gonçalo também suspendeu nesta segunda (28) as aulas na rede municipal. A UFF suspendeu as atividades até o dia 2 de junho, incluídas aquelas referentes ao Restaurante Universitário e Busuff. Outras universidades também estão sem aulas e cancelaram inclusive as provas que seriam aplicadas nesta semana.

Em Itaboraí, as aulas estão suspensas hoje e amanhã e só retornam na próxima segunda, uma vez que já não funcionariam no feriado, quinta, e na sexta, decretado ponto facultativ.

SAÚDE
A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro decidiu manter as cirurgias eletivas (não emergenciais) nos cinco hospitais de urgência e emergência (Alberto Torres, Carlos Chagas, Adão Pereira Nunes, Carlos Chagas, Azevedo Lima e Getúlio Vargas).

O motivo da suspensão seria o baixo estoque de sangue do (Hemorio). Todas as unidades da rede estadual de saúde continuam em funcionamento. A Secretaria de Saúde fez um apelo para que a população compareça à unidade para doar sangue. O Hemorio funciona todos os dias, inclusive nos fins de semana e feriados, das 7h às 18h, na Rua Frei Caneca, 8, no centro do Rio.

Em Itaboraí, as cirurgias eletivas foram temporariamente suspensas, as ambulâncias estão funcionando em caráter de urgência e o quadro de funcionários está parcialmente reduzido. Mas os atendimentos no Hospital Municipal Desembargador Leal Junior, em Nancilândia, e demais postos estão mantidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 9 =