Região Oceânica ganha mais um pomar urbano

Na manhã de sexta-feira (1º), a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (Seconser) plantou 250 mudas de pitangas, 100 araçás, 11 cajueiros, além de plantas ornamentais, criando mais um pomar na cidade, desta vez na Praia de Itaipu, na Região Oceânica de Niterói. Além do plantio, a área vai receber a recuperação do guarda-corpo e do deck de madeira, reparo nos canteiros e jardineiras de alvenaria.

O município de Niterói foi uma das oito cidades a receber o selo de Cidade Árvore do Mundo, concedido pelo programa Tree Cities of The World, administrado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e pela Arbor Day Foundation.

O prefeito de Niterói, Axel Grael (PDT), destacou que a gestão municipal segue implementando políticas públicas e sustentáveis cada vez mais atuantes no estado do Rio: “O selo coloca Niterói entre as cidades de destaque mundial pelo plantio e cuidado com as árvores. É um reconhecimento não apenas pela quantidade de árvores, mas também pelo planejamento, gestão e cuidado das florestas urbanas. Nos últimos anos na cidade, o meio ambiente deixou de ser uma política periférica para se tornar uma das prioridades de governo. A arborização e as áreas verdes têm uma função fundamental na qualidade de vida e na amenização do microclima urbano”, enfatizou o prefeito.

Atualmente, Niterói contabiliza mais de 70 mil mudas plantadas na cidade desde 2013. Só nos últimos dois anos, foram mais de oito mil. O planejamento é que até 2024 sejam mais 7.710. Estes plantios fazem parte do Programa Verdes Notáveis, e são feitos com espécies nativas da Mata Atlântica, como Pau-Brasil, Pau-Ferro, Sibipiruna, Oiti, Araçá e Pitanga, entre outras, que não conflitem com o mobiliário urbano. Cada árvore da cidade é identificada, avaliada, registrada pelo Arboribus, um projeto censitário da flora urbana da cidade em vias públicas e praças.

A secretária municipal de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa, lembra que Niterói conta com outros espaços na cidade com plantio expressivo de espécies frutíferas compatíveis com o espaço urbano, como os canteiros de Charitas e São Francisco. Piratininga também recebeu um plantio expressivo de frutíferas: 12 mudas de pitanga em uma das ilhas da Avenida Almirante Tamandaré, na orla do bairro.

“Ações deste tipo agregam, além dos valores que uma árvore traz, a fruta que é uma coisa mágica, mística, reporta a alimentação, reporta ao nascimento, atrai a avifauna, vários animais silvestres, principalmente aves que se alimentam destas frutas”, enfatizou a secretária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.