Região Metropolitana tem quase 20 mortes por Covid-19

A Região Metropolitana do Rio de Janeiro confirmou mais quatro mortes nessa segunda (13), causadas pelo o novo coronavírus. Com isso, chega a 19 o número de óbitos, sendo oito em Niterói, cinco em São Gonçalo, três em Maricá e três em Itaboraí.

No início da noite de ontem o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), que tem atualizados os números do boletim do coronavírus, confirmou que subiu para oito o número de óbitos por Covid-19 na cidade.

“São 147 casos confirmados do novo coronavírus em moradores de Niterói, sendo 58 pessoas recuperadas, 52 em quarentena em suas residências, 29 hospitalizadas (12 em UTI) e 8 óbitos”, disse o prefeito.

Segundo o prefeito, as mortes foram de uma pessoa idosa acima de 80 anos no bairro do Fonseca, na Zona Norte e outra pessoa acima de 90 anos do bairro de Icaraí, na Zona Sul. Além destes, os óbitos confirmados até o momento são de um homem de Icaraí, de 69 anos, que era diabético, uma mulher de 65 anos de Camboinhas e outra de 39 anos de São Lourenço, ambas eram obesas e dois homens, um de 89 anos e outro de 81.

Para tentar amenizar a situação o prefeito comunicou que vai alinhar hoje durante a live os protocolos com secretário de Saúde, Rodrigo Oliveira, para dar início a 60 mil testes rápidos para detectar a doença.

“É bom esclarecer que o Estados Unidos fez um teste para cada 164 habitantes, a Coréia do Sul, que é um caso de sucesso com o coronavírus fez um teste para cada 110 habitantes. Até o momento o Brasil está muito lá atrás em relação ao assunto ao fazer a aplicação de um teste para 250 mil habitantes. Nós temos um número muito pequeno de teste e por isso, vamos dar início a esse processo que ajuda a controlar as subnotificações, que são grandes tanto nos casos confirmados quantos nos óbitos. Acredito que temos de cinco a dez casos a mais. Niterói está adquirindo os testes e vamos fazer a testagem maior do que a proporção dos Estados Unidos, por exemplo, vamos criar um protocolo e apresentá-lo na live diária amanhã (hoje)”, disse Rodrigo Neves.

Fake news

Rodrigo Neves encerrou seu pronunciamento reclamando das desorientações, segundo ele, “através de fake news que desinformam e que atacam o trabalho sério que está sendo feito pela Prefeitura e pela sociedade”. Ao lado da controladora geral do município, Cristiane Marcelino, ele falou da integridade de todo o processo dos contratos sobre o coronavírus.

“Orientamos os gestores, que são os grandes responsáveis pelas aquisições e nenhum gestor ficou sem informações de quais os decretos deve estar cumprindo para aquele processo seja legal, transparente e econômico para o trabalho com a identificação de risco, criamos um guia de aquisições especificamente direcionadas para o coronavirus e também trabalhamos sobre auditoria em empresas”, disse a controladora.

Sobre as fake News espalhada por grupos de WhatsApp por todas as redes sociais da cidade, Rodrigo Neves pediu o coronel Gilson Chagas para explicar a contratação de empresa para a lavagem de colete dos policiais.

“Fizemos várias cotações por peça lavada e conseguimos contratar mesmo no período de pandemia a lavagem e higienização e embalagem individual do equipamento por R$ 7,50”, disse o secretário de Ordem Pública.

Sobre a contratação de hotel para atender os servidores que estão na linha de frente o prefeito pediu para o secretártio de Administração, Luiz Vieira, explicar a licitação.

“Em nossa licitação encontramos um hotel em Icaraí com 34 quartos, por R$ 95,00 a diária. Isso é um preço bem abaixo do mercado”, disse Vieira.

O prefeito ainda reclamou do que seria a terceira fake news que foi sobre o arrendamento do Hospital Oceânico, inaugurado na última sexta-feira.

“Sobre o arrendamento do Hospital Oceânico foi canalhice afirmar que arrendamento custou R$ 58 milhões, quando na verdade o custo foi de R$ 4,8 milhões, de acordo com nossa reserva orçamentária. Está tudo no portal da transparência, isso foi uma covardia para desorientar a população”, concluiu o prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × dois =