Redes sociais na combate aos crimes em Niterói

Wellington Serrano

A população de Niterói em breve terá um novo instrumento para ajudar a polícia a identificar e prender assaltantes. O comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar, coronel Marcio Rocha, disse que vai criar na próxima semana uma conta no WhatsApp e no Facebook para a Batalhão.

Os aparelhos smartphones serão doados pelos lojistas em próximos encontros com a PM para que sejam utilizados ainda durante a operação ‘Papai Noel’, que tem o objetivo de reprimir a criminalidade e garantir tranquilidade durante as compras de fim de ano. Pelo aplicativo, vítimas ou testemunhas poderão enviar vídeos, fotos e informações que possam contribuir com as investigações e serão vistas em tempo real aos agentes.

Segundo o comandante, com o whatsapp o setor de inteligência do 12º BPM vai monitorar 24 horas por dia as denúncias que chegarem. “Vamos analisar se as demandas são imediatas ou não. Se não forem, os agentes da inteligência vão trabalhar a investigação para o futuro, mas se o agente entender que a ação exige imediatismo, seja que horas for, a informação é repassada para sala de operações e será despachada uma viatura para checar a ocorrência”, explicou Rocha.

Marcio Rocha disse que mesmo no telefone particular muitos policiais utilizam o aplicativo como forma de comunicação. “Hoje, apesar da exposição do policial, temos que estar preparados para lidar com a questão das redes sociais. Por isso, quero monitorar também o facebook e vamos criar também um perfil da inteligência do batalhão”, revelou o comandante.

O coronel analisa que através destas ações as pessoas vão estar mais amparadas ao saber que a polícia está inserida nas redes sociais. “Isso vai funcionar como uma boa interação e por outro lado com prevenção porque as pessoas vão saber que os P2 da polícia estão online. Só as pessoas do bem vão querer estar no grupo”, analisa o comandante.

Segundo o comandante, os telefones serão funcionais da polícia, e o número em breve será divulgado através dos próximos encontros que haverá entre a Câmara de Dirigente Lojista (CDL) e o 12º BPM. “Em breve vamos divulgar esse número que deve ficar logo conhecido e, assim, as pessoas que tiverem informação vão passando para a gente e daremos logo resposta”, afirma o comandante.

“Não temos como fugir da mídia social. A polícia tem que entrar por nesse caminho. Às vezes vejo as pessoas reclamando da exposição do policial, mas digo que não tem jeito. A polícia precisa entender que isso é uma ferramenta e precisa ser utilizada de maneira positiva. Através deste equipamento vamos dar as respostas, orientar a população e acabar com os boatos”, concluiu o comandante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 1 =