Recorde nacional: Número de mortes cresceu 66% no Estado do Rio

O levantamento do Consórcio de Imprensa, divulgado na noite de quinta-feira (8), revelou que, percentualmente, o Estado do Rio foi a unidade da federação com maior crescimento na média móvel do número de mortes, alcançando 66%, enquanto a expansão em outros estados em situação grave ficaram bem abaixo: 55% no Ceará; 53% em Minas Gerais e 42% no Mato Grosso do Sul, enquanto São Paulo se limitou a 28%.

Numericamente, o RJ passou a totalizar 671 mil casos e 38,6 mil mortes, sendo 375 óbitos somente nas últimas 24h. Niterói registrou 5.282 novos casos da doença, agravando seriamente a altíssima taxa de ocupação hospitalar.

Entre os casos confirmados, 621.226 pacientes se recuperaram da doença.

Segundo o painel de dados desenvolvido pela pasta, a taxa de ocupação de Unidades de Terapia intensiva (UTI) para a covid-19 no estado é de 90,8%. Já a taxa de ocupação nos leitos de enfermaria é de 79.5%.

Além da capital os municípios fluminenses com maiores indicadores de óbitos, em nível nacional são: São Gonçalo, 1.635: Niterói, 1,300; Nova Iguaçu 1.152; Duque de Caxias, 1.137: Campos, 836; São João de Meriti, 751; Petrópolis, 681 e Itaboraí, com 409 óbitos.

No cenário nacional foram registrados, ontem, 4.190 óbitos, totalizando 345.280; e o número de casos subiu com 89.297 registros, totalizando 13.286.329 casos.

Quanto à vacinação, a média nacional é de 10,47%, com 22,1 milhões de doses da primeira fase aplicadas. Enquanto o Mato Grosso do Sul alcançou 15.59% da população, o Estado do Rio está bem abaixo, pois só atingiu 8,77%, tendo aplicado apenas 1,5 milhões das doses da primeira fase.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + quatro =