Recompensa por 2N dobra o valor e agora é R$ 20 mil

Um dos criminosos mais procurados do Estado, Thomaz Jhayson Vieira Gomes, o 2N, chefe do tráfico de drogas no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, teve o valor da recompensa ( e informações que levem a sua captura) aumentada 100%, na manhã desta segunda-feira (28). O Portal Procurados do Disque Denúncia divulgou o cartaz com foto do criminoso e o novo valor da recompensa, passado de R$ 10 mil para R$ 20 mil.

De acordo com a Polícia Civil, Thomaz Jhayson é apontado por envolvimento em diversos roubos de carga no chamado Complexo do Salgueiro, onde traficantes além de praticarem esse delito nas vias de acesso a região, além do próprio tráfico de drogas. Policiais também apuram a ação de receptadores de carga na localidade. Mesmo com o trabalho de repressão sendo realizado, a ação de traficantes ligados a 2N persiste com relação ao roubo de cargas.

No início do mês, a 72ª DP (Mutuá) acrescentou no inquérito que apura a ação de 2N e seu bando no Salgueiro, o fato do criminoso ter se casado, numa cerimônia na região. As fotos do evento foram postadas em redes sociais, e o bandido foi recepcionado por vários convidados e não foi abordado por nenhum policial. O Salgueiro é atualmente apontado como um dos maiores redutos do crime ligado a facção Comando Vermelho (CV), no estado. Agentes das polícias Civil, Militar, e Federal já se revezaram e até promoveram ações conjuntas na região com objetivo maior de capturar 2N., mas sem sucesso até agora. Na sexta-feira passada, policiais militares das tropas de elite do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e Batalhão de Choque (BPChoq) vasculharam a região e mais uma vez não localizaram o criminoso. Na ocasião houve confronto e dois suspeitos morreram e um fuzil foi apreendido.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do traficante 2N e sua quadrilha, pode denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular. O anonimato é garantido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − dezessete =