Reajustes de planos de saúde podem chegar a quase 50%

Os planos de saúde sofreram reajuste retroativo e com isso o valor aumentou em quase 50%. No ano passado, o reajuste anual e o por faixa etária foram suspensos por causa da pandemia do novo coronavírus. Por isso, o valor referente a esse período será acrescentado nos boletos de 2021.

A alta nos preços, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), chega a 50%. Mas a realidade pode ser ainda pior. Dados consolidados pelo Procon apontam que há casos em que o aumento chegou a 113%.

Em alguns casos, foi acrescido ainda o reajuste por mudança de faixa etária, gerando o aumento que o Idec classifica como abusivo.

Segundo o levantamento do Idec, o acúmulo de vários tipos de reajuste elevou a mensalidade dos planos de saúde entre 12,21% e 49,81%. Para chegar a esses percentuais, a entidade fez seis simulações usando os valores indicados no Painel de Precificação da ANS, de julho de 2020.

Para os usuários de planos individuais que tiveram apenas o reajuste anual suspenso em 2020, o aumento da mensalidade foi de 12,21% entre dezembro e janeiro. Já aqueles que sofreram, além do reajuste anual, também aquele referente à mudança de faixa etária, viram a mensalidade aumentar 34,99%.

Para os planos coletivos, que não têm os reajustes regulados pela ANS, os aumentos foram ainda maiores, segundo o Idec. A variação foi de 26,67% para quem teve apenas o reajuste anual, e de até 49,71% quando se acumulou com o de mudança de faixa etária.

Já para os planos coletivos de adesão, o aumento foi de 26,67% para quem teve apenas o reajuste anual, e de 49,81% quando se acumulou a mudança de faixa etária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 3 =