Raymundo Nery Stelling Júnior: Qualidade de vida nas cidades

Estimados leitores, todos certamente tem o mesmo entendimento de que, ao ocuparmos o espaço natural com seguidas construções, vimos nos privando, progressivamente de uma relação saudável com o meio natural.

Evidentemente que tal situação foi se tornando mais real na justa medida em que a comunidade humana foi aumentando e, no caso de muitas cidades que chegaram até mesmo a se constituírem em grandes centros urbanos…alguns com milhões e milhões de habitantes, gerando um impacto ambiental devastador.

De fato, cada vez ocupando mais espaço natural para permitir que maior número de pessoas que estejam a estas urbis se agregando ou pela própria questão da natalidade dos que já habitam o espaço, começamos a nos distanciar significativamente da natureza cobrindo o espaço natural com ruas de asfalto com construções de cimento que além de tudo aumentam o calor da região…

Podemos somar a este quadro que só pelo expostos acima já é preocupante com o número assustador de veículo que causam maiores danos ainda ao “ambiente das cidades” e ao próprio agregar coexistindo dos habitantes…tudo colaborando para o aumento da temperatura.

Naturalmente ao ter que viver num espaço artificial acabamos por levar nesta convivência o fator estresse: de mobilidade, de barulho, de muita gente ao mesmo tempo para lá e para cá, da natural poluição dos veículos, das regras necessárias ao convívio social e assim por diante…consequência: o ser humano contemporâneo, mais do que em qualquer outra era histórica se encontra esgotado e debilitado fisicamente frente a tantas demandas para “viver e sobreviver” nos espaços urbanos.

Todo este contexto tem levado a que seguidas “doenças” estejam atingindo grandes contingentes populacionais e a cada dia vemos como “caso comum” as pessoas ao nosso redor apresentarem os mais diversos sintomas que demonstram como estamos nos fragilizando frente a existência do dia a dia.  Creio que nos dias atuais nos quais temos acesso a uma quantidade incrível de informações devêssemos procurar pensar e atuar considerando como podemos efetivamente contribuirmos nos espaços nos quais vivemos para uma melhoria destas condições de vida que a todos nós atinge uma hora ou outra de uma maneira ou outra; portanto, torna-se mister que possamos conseguir colaborar enquanto cidadãos, enquanto seres humanos, para que nossa comunidade presente e a futura tenham uma vida mais saudável já que, percebemos a cada dia que nossa espécie se encontra mais e mais afetada por muitas doenças demonstrando claramente (e de forma alarmante – e para tal circunstância devemos urgentemente nos alertar) que estamos ficando mais e mais vulneráveis, qual seja, mais e mais fracos frente ao ambiente (natural e/ou artificial) no qual vivemos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × três =