Rafael Adonis é o novo subsecretário de Direitos Humanos de Niterói

Rafael Adonis foi indicado para a assumir a subsecretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de Niterói. O advogado é fundador do projeto Advocacia Solidária e também exercia a função de presidente do Comitê Municipal de Direitos Humanos e coordenador executivo da Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SMDH), comandada pelo secretário Raphael Costa.

Adonis conta que já estava trabalhando na pasta e que foi uma honra receber o convite, um reconhecimento de seu trabalho desempenhado até aqui. “Uma grande honra receber este convite do Secretário Raphael Costa para ser o Subsecretário de Direitos Humanos. Teremos muitos desafios pela frente para transformarmos a nossa cidade numa referência no combate as violações de direitos”, afirmou.

Ao assumir a subsecretaria, Adonis vai ficar na coordenação do Centro de Cidadania, órgão da Prefeitura que oferece serviços de orientação psicológica, social e jurídica, além de mediação de conflitos, acolhimento de refugiados e atendimento às vítimas de violações de direitos.

No local estão disponíveis os serviços de apoio para retificação de nome social, emissão de documentos, acolhimento de migrantes e refugiados, orientação jurídica, psicológica e social, e vai atender pessoas que sejam vítimas de intolerância religiosa, trabalho escravo, racismo, homofobia, abuso infantil e prisões injustas.

Adonis ainda terá outras atribuições como subsecretário, como coordenar o programa de Educação em Direitos Humanos e as parceiras técnicas com a Defensoria, o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Renatinho – Rafael Adonis vai assumir a subsecretaria em lugar de Renatinho, que havia sido convidado para assumir a vaga, mas não chegou a tomar posse. O ex-vereador, que tinha no currículo ter comandado a Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores de Niterói por 10 anos, faleceu no último dia 18 de março vítima de complicações da Covid-19.

“Sinto-me mais que honrado ainda por substituir o querido Renatinho. Pessoa na qual eu tive o prazer de trabalhar junto, de uma honestidade ímpar, sempre comprometido com os mais vulneráveis e com as pautas de Direitos Humanos. É uma responsabilidade muito grande e faremos de tudo para levar seu legado adiante”, concluiu.

Marcelo Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 − 1 =