Rádio Manchete, ‘ainda’ no ar

No último dia 7 de maio de 2022, morreu Pedro Jack Kapeller, o “Jaquito”, aos 83 anos de idade. Herdeiro de Adolpho Bloch, na virada do século ele ganhou notoriedade ao ser o “homem-forte” do conglomerado de comunicação do tio, à época da falência das empresas. As mais expressivas delas, certamente, foram a TV e a Revista Manchete. No entanto, uma empresa do grupo sobrevive, até os dias de hoje, de forma tímida, ás margens da Rodovia BR-101, em São Gonçalo.

No ar na frequência 760 khz, a Rádio Manchete mantém sua sede no mesmo lugar que seu parque de transmissões, no bairro do Porto da Pedra, cercado por uma comunidade batizada em sua homenagem: a Favela da Manchete. Com uma programação que mistura música gospel e boletins jornalísticos terceirizados, a repercussão é quase nula. Visto que poucos sabem que a emissora ainda existe. A Manchete sequer aparece nas medições de audiência.

Sem locutores fixos e utilizando vinhetas antigas, os momentos mais recentes de “relevância” da Manchete foram entre 2017 e 2021, quando sua programação foi arrendada á produtora Ibéria Universal, que retransmite no Brasil e em Portugal conteúdos sobre a China. Entretanto, o contrato se encerrou durante a pandemia da Covid-19, por conta da crise financeira mundial.

A reportagem de A TRIBUNA tentou entrar em contato com todos os telefones atribuídos à Rádio Manchete encontrados na internet. Contudo, todos estavam “fora de área”. Mesmo com baixo investimento em programação, a Manchete mantém sua programação em um site e aplicativo para Android. No entanto, não há atualização de conteúdo desde o ano de 2020.

A Manchete foi inaugurada nos anos 1960, em Niterói, sob o nome de Rádio Federal (que ainda é sua razão social) e funcionava na rua da Conceição, no Centro. Na década seguinte, foi comprada pelo Grupo Bloch, tendo sua sede modificada para o imponente Edifício Manchete, na Glória. Após o conglomerado falir, na virada de 1999 para 2000, a emissora passou por diversos arrendamentos, chegando a ficar fora do ar entre 2015 e 2018.

Mistérios – Com a morte de “Jaquito”, quem assume? Permanece um mistério, já que a emissora não possui assessoria de comunicação tampouco foi localizado um número de telefone ativo. Consultando pelo CNPJ, além de “Jaquito” na condição de sócio-proprietário, aparecem Carla Kapeller, Carlos Sigelmann, Ivo Sigelmann, Oscar Bloch Sigelmann e, pasmem, Adolpho Bloch. Não foi possível localizar nenhuma dessas pessoas.

Quem foi Jaquito

Após a morte de Adolpho Bloch, em 1995, Pedro Jack Kapeller assumiu a administração do Grupo Bloch, que já se encontrava combalido financeiramente. A partir de 1998 a crise, especialmente na TV Manchete, se intensificou, culminando em sua venda para os empresários paulistas Amílcare Dallevo e Marcelo de Carvalho, formando a atual RedeTV!. Considerado uma figura polêmica, funcionários do grupo não têm boas lembranças de “Jaquito”, a quem atribuem a culpa pela falência do conglomerado.

Cemitério de rádios – Não é apenas a Rádio Manchete que mantém operação de transmissão em São Gonçalo. No Parque de Transmissões de Itaoca, no Complexo do Salgueiro, ainda funcionam as rádios MEC e Nacional AM, que aguardam a finalização da migração para a faixa estendida do FM. No local, também funcionavam as emissoras AM do Sistema Globo de Rádio (Globo, CBN e Mundial), cujas concessões foram devolvidas ao governo e as torres demolidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.