Radares nas rodovias estaduais continuam operando em áreas de risco

Há um mês o Departamento de Estradas e Rodagem do Rio de Janeiro (DER-RJ) anunciou que iriam desligar e retirar 16 radares na antiga rodovia Amaral Peixoto (RJ-104 e RJ-106), entre São Gonçalo e municípios da Região dos Lagos, mas motoristas relatam que os equipamentos continuam nos mesmos lugares que estavam antes do anúncio, e funcionando. O desligamento foi pedido porque os motoristas ficam expostos à violência em trechos das rodovias estaduais ao reduzir a velocidade para passar pelo equipamento eletrônico.

Em vigor desde maio de 2017, a Lei Estadual proibiu a instalação de novos radares em áreas de risco mapeadas e conhecidas por terem grandes índices de assaltos ou confrontos armados. A mesma lei também determinou a realização de estudos para a retirada gradual de radares já instalados que se encontrem em áreas de risco.

Por meio de nota, o DER-RJ se ateve a dizer apenas “que os radares já começaram a ser retirados”, porém não declaram quais equipamentos e nem por onde começaram a remoção. Mesmo assim, quem passa pela via diariamente motoristas na dúvida preferem reduzir a velocidade, uma vez que os equipamentos continuam instalados nos mesmos locais.

Em julho, o DER se comprometeu a retirar os equipamentos, após cobrança de comissões da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj). Nesta sexta-feira, a vice-presidente da Comissão de Turismo da Alerj e moradora da cidade de Maricá, que tem seu principal acesso pela rodovia Amaral Peixoto, a deputada Zeidan (PT), informou, por meio de sua assessoria, que já esta marcando uma reunião com a direção do Departamento e que cobrará cobrar informações e prazos diante da reclamação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *