Quinze radares serão reativados em Niterói

Dentro de 20 dias acontecerá o pregão presencial para escolha da empresa que será responsável pelo retorno dos 15 radares, desligados ainda em 2017, nas ruas de Niterói. A informação foi confirmada com exclusividade pelo presidente da Niterói Transportes e Trânsito (NitTrans) Paulo Afonso, que acrescentou também os pontos escolhidos para o retorno dos equipamentos eletrônicos.

No início do ano o processo de licitação teve que passar por uma atualização, mas já foi finalizado. Os aparelhos, que vão continuar não autuando e sim detectando irregularidades, já têm alguns pontos de instalação definidos. O túnel Charitas-Cafubá, os mergulhões José Vicente Filho e Ângela Fernandes, ambos no Centro, a Avenida Roberto Silveira, em Icaraí, e a Alameda São Boaventura, no Fonseca, são os locais definidos. Outros pontos serão analisados para posterior implementação.

“Com a abertura do túnel e também com a inauguração do sistema BHLS tivemos a necessidade de fiscalização 24 horas desses espaços. Por isso decidimos restabelecer o processo de detecção eletrônica através de mecanismos tecnológicos e estudos técnicos”, comentou o coronel Paulo Afonso.

O secretário explicou que os radares não multam instantaneamente e sim detectam e fazem a captura das imagens, que passam por análise, até virar uma autuação ou não. “Primeiro vem a notificação, depois de 30 dias a segunda notificação de penalidade e aí sim pode virar multa ou não, pois depende desses recursos”, contou.

Das notificações expedidas, 40% são retiradas e apenas 60% viram uma infração propriamente dita. “Existia a possibilidade de fazer esse processo emergencial, mas com a queda de cerca de 80% do número de acidentes nós esperamos um pouco mais. Sem radar os números de acidentes diminuíram, mas o que levou a essa redução foi a ação do motorista através de educação no trânsito e presença de agentes físicos nos locais críticos”, completou.

QUEDA DE ACIDENTES
De acordo com o setor de estatísticas da NitTrans, o primeiro semestre de 2019 registrou 507 acidentes, menor número desde 2013. No ano passado, no mesmo período, foram 1.103 acidentes, queda de 54% no comparativo com 2018. As colisões lideram o ranking, com 250 registros, seguidas de 137 abalroamentos e 51 choques. Em 2018 foram 557 colisões, 226 abalroamentos e 133 choques. O bairro onde ocorre mais essas infrações é o Centro, com 70 ocorrência, Itaipu com 61, e 51 no Fonseca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete − cinco =