Quase tudo pronto na Acadêmicos do Sossego

Raquel Morais

A campeã do Grupo Acesso B do carnaval 2016, Acadêmicos do Sossego, abrirá o carnaval da Marquês de Sapucaí em 2017, no dia 24 de fevereiro, na briga pelo Grupo Especial do carnaval carioca. A azul e branco do Largo da Batalha desenvolverá o enredo “Zezé Motta, a Deusa de Ébano”, do carnavalesco Márcio Puluker, em uma linda homenagem para a atriz e cantora Zezé Motta.

Sossego

De acordo com o presidente Wallace Palhares a Sossego virá com 1.800 componentes sendo 95% moradores de Niterói, distribuídos por 17 alas e 250 ritmistas, sob comando do mestre Átila. No último setor a própria Zezé Motta desfilará em um carro alegórico com seus amigos e convidados. “Abrir o carnaval da Sapucaí é muita responsabilidade e um grande desafio. O enredo é um foco cultural muito grande, pois Zezé Motta é uma diva da dramaturgia e da música. Fomos muito felizes nessa escolha. Sempre digo que a Zezé é um presente para o Sossego. Fiz questão que ela gravasse o samba junto com o nosso intérprete Leandro Santos. Posso dizer que o enredo é claro e de fácil leitura, e que o samba foi feito numa construção diferente dos atuais, sendo elaborado em forma de diálogo”, explicou Wallace que era diretor de carnaval da Sossego desde o início do ano passado. Questionado sobre um segredo de avenida o presidente contou.“Temos um profissional de Parintis, o Índio, que está colocando movimento nos carros alegóricos. É o primeiro ano dele na escola”, completou.

O samba enredo é de Felipe Filósofo, Ademir Ribeiro, Sérgio Joca, Marcelo do Rap, Fabio Borges, João Perigo, Paulinho Ju e Bertolo e no barracão o trabalho está no ritmo acelerado e em relação as fantasias ainda há poucas vagas para o desfile. O carnaval da Sossego está em 90% pronto e Márcio Puluker explicou que a perfeição é o que está norteando os trabalhos no galpão. “Trabalhamos com carros detalhados e tudo com primor e perfeição. As esculturas são forrados com tecido e depois são pintadas e o destaque será o abre alas, que está imponente com 45 metros de extensão. Estamos trabalhando com muita reciclagem e materiais baratos que são trabalhados com extremo bom gosto. Vamos surpreender e estamos visando muitos títulos”, frisou.

O abre alas “O templo do Dionísio e da deusa de Ébano” retrata a primeira formação artística da Zezé Motta, que foi através do teatro. Essa alegoria passará pela Marquês de Sapucaí cheio de movimento e com destaque para as cores azul, branco e dourada. OO segundo carro alegórico, “O reinado de Chica da Silva”, e vai levar para a avenida a história da escravidão em que a Chica era escrava. “Depois ela consegue a carta de alforria e aí se torna rainha. Vamos retratar escravos e nobreza com cores puxando para o marrom, marfim, branco e azul turquesa”, completou Puluker. O terceiro carro “Negra melodia” simboliza a Zezé nos grandes palcos onde fez fama como cantora nos bares como Balacobaco e Telecoteco, duas boates de São Paulo. Muitos espelhos e show pirotécnico vão simbolizar essa passagem. E encerrando a história o último carro “Muito prazer, eu sou Zezé” virá com a homenageada como destaque.
Surpresinha: A COMISSÃO de frente terá uma surpresa.

Fundada em 10 de novembro de 1969 inicialmente as cores da escola eram verde e vermelho e em 1978 mudou suas cores para os atuais azul e branco, e conquista o campeonato de Blocos em Niterói. Em 1986, ganhou seu primeiro campeonato no 1° grupo e a partir daí torna-se a grande força do carnaval de Niterói. A agremiação tem como rainha da bateria Cris Alves, primeiro mestre-sala e porta-bandeira Cherry e Naninha e segundo Jonhy Matos e Cassiane Figueiredo. Já a coreografia da comissão de frente será desenvolvida por Jardel Lemos. “Ver o Sossego na Série A do Carnaval é um sonho que foi realizado. Vamos manter o trabalho já iniciado e mostrar um desfile técnico e alegre para brigarmos pelo título. Quero parabenizar toda a equipe que está desenvolvendo o carnaval da agremiação”, comentou André Costa, vice-presidente da escola.

Zezé Motta, a Deusa de Ébano

Eu vi Mamãe Oxum clarear a cachoeira.
Eu vi Mamãe Oxum clarear a cachoeira.
Zezé Motta vai brilhar, nasce uma estrela.
Sossego mandou me chamar, eu vou!
Ora yê yê, Oxum, aiê iê ô!
Ora yê yê, Oxum, aiê iê ô!
Deusa de Ébano, suba ao seu templo sagrado.
Dionísio embriagado de alegria te oferta a lira de Orfeu.
Ah, é uma honra! Eu já fui Conceição.
Farei dessa avenida um quilombo
“Nas voltas do meu coração”.
Volte a reinar, Xica da Silva!
Rufam os tambores por dignidade.
Pois é, “meu sangue não nega”,
Trilha sonora da senhora liberdade.
Fiz dançar a hipocrisia numa “negra melodia”.
Tenho a cor da noite, a dor ensina.
Seja a luz que ilumina, ó divina!
Serei até quando a tela deixar meus nobres irmãos atuar.
Onde o sol bate e se firma, abrem-se as cortinas.
Negras estrelas caem do céu.
Terá a igualdade um cintilante papel.
Até breve, diva. Axé!
“Muito prazer, eu sou Zezé”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × três =