Operação, confronto, morte, manifestação e tensão no Caramujo

Pedro Conforte

 

“Uma verdadeira praça de guerra”, foi assim que definiu uma motorista ao tentar passar pela entrada do Caramujo, no encontro da RJ-104, com a Alameda São Boaventura, em Niterói. Por conta da morte de um jovem na manhã de ontem durante uma ação da Polícia, mais de 500 pessoas – em protesto – incendiaram pneus e bloquearam por horas a rodovia. Foram mais de 4 horas de tensão até a chegada do Batalhão de Choque para intervir. A PM precisou entrar na comunidade, com isso, houve intenso confronto com traficantes.

Protesto no Caramujo

A confusão começou por conta da morte de Carlos Adriano da Silva Coutinho, de 17 anos. De acordo com o comando do 12º BPM (Niterói) o jovem foi atingido por uma bala perdida e já chegou sem vida ao Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal). Em contrapartida os manifestantes acusavam a PM da morte do jovem, inclusive alegando que não houve confronto no momento da morte do jovem. Segundo testemunhas, Carlos segurava uma marmita quando foi baleado. Além disso, diversas pessoas afirmavam que apenas dois tiros foram ouvidos, os dois que mataram o jovem.

“A ocorrência foi mais uma operação realizada pelo 12º BPM. O fato ocorreu na comunidade do Mundo Novo (Complexo do Caramujo). Logo que os policiais entraram, houve troca de tiros. O jovem foi baleado e socorrido pela própria guarnição, mas faleceu. Estamos apurando o fato através de um Inquérito Policial Militar (IPM) que está sendo instaurado, além da DH também estar investigando as causas e autoria”, explicou o Coronel Márcio Rocha, comandante do 12º BPM.

 

IMG_9169

A explicação do comandante não foi suficiente para acalmar os animos dos manifestantes. Desde às 9 horas as pessoas começaram a chegar e ocupar as duas pistas da RJ-106. Em certo momento da manhã uma pista de cada lado foi aberta e o fluxo começou a fluir aos poucos, porém por volta das 11 horas a pista foi novamente fechada. A tensão entre manifestantes e policiais aumentaram, e um grupo indenciou pneus e lixos fazendo uma densa fumaça subir. Comerciantes – tanto da RJ quando de dentro do Caramujo – fecharam seus estabelecimentos, por medo. O trânsito foi liberado completamente às 13h30.

O Batalhão de Choque foi chamado e entrou em confronto com os manifestantes, com armas não letais, para liberar a RJ-106. Ao entrar no Caramujo a situação mudou: traficantes entraram em confronto com os policiais. Muitas pessoas tiveram que correr e se abrigar do tiroteio. Mais de 100 policiais, entre Choque, 12ºBPM, rodoviário e do GAM, participaram da ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + dez =