Projetos encalhados em Niterói e São Gonçalo estão na lista de prioridades do Estado

Raquel Morais –

O projeto do Terminal Pesqueiro na Avenida do Contorno, no Barreto, próximo à Ponte Rio-Niterói, e da Cidade da Pesca na Praia da Beira, no bairro Itaoca, em São Gonçalo, podem estar mais próximos de saírem do papel. O novo secretário de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Eduardo Lopes, mostrou interesse (e aval do Governador Wilson Witzel) em estadualizar os dois empreendimentos. A notícia foi anunciada na manhã desta quarta-feira (17), durante coletiva, após solenidade de posse do novo cargo, no Teatro da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Icaraí.

O novo secretário contou que na terça-feira (15) já participou de uma reunião com secretários de governo para discutir os dois assuntos. Em Niterói ele explicou que o Terminal é de responsabilidade federal, através do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, mas que estudos analisados por ele já apontam uma melhora natural, através da maré, na dragagem do Canal de São Lourenço.

“Minha ideia é ver com a esfera federal para passar para o Estado assumir e depois veremos como será essa administração, se será por concessão, por exemplo. Estamos estudando um ajuste de conduta com outros órgãos para essa medida”, contou Eduardo. O Ministério foi questionado sobre o assunto mas até o fechamento dessa edição não se manifestou.

Na inauguração do Terminal, em dezembro de 2013, foi divulgado que a estrutura custou cerca de R$ 10 milhões, com um cais com 95 metros de extensão e área de aproximadamente 7,2 mil metros quadrados. A estimativa era que mais de 15 mil pescadores seriam beneficiados e que 500 pessoas circulariam pelo local diariamente, além de movimentar 25 toneladas/dia de pescado, que poderão chegar a 120 toneladas/dia futuramente, segundo nota da Prefeitura de Niterói na época.

Na mesma reunião dessa semana também foi discutida a vontade de estadualizar e tirar do papel a Cidade da Pesca, em Itaoca.
“Estamos estudando a maneira como será feita essa administração. A Prefeitura de São Gonçalo tem prioridade sobre o local mas tem dificuldade de implementar esse projeto. Vou marcar outra reunião para ajustar esse pedido”, explicou Eduardo Lopes.

A Cidade da Pesca ficará em uma área de 630 mil metros quadrados e tem promessa de gerar, na época, 10 mil empregos e investimento de R$ 100 milhões. A administração pública foi questionada sobre o assunto mas até o fechamento dessa edição não se manifestou.

POSSE
A posse do novo secretário Eduardo Lopes contou com muitos representantes do Governo Estadual, Federal, da própria UFF e do governador Wilson Witzel. A estimativa é que a produção total do agronegócio no Estado esteja em torno de R$ 18 milhões o que corresponde a 3% do Produto Interno Bruto (PIB) no Estado.

“Queremos aumentar o desenvolvimento e atingir 10% no PIB nesses quatro anos de Governo. Estamos sem aporte dos recursos, como por exemplo, o Banco Mundial que teve fim do contrato no final do ano passado, e nosso objetivo é renovar, até o final do primeiro semestre, essa parceria”, contou Eduardo.

Entre as promessas estão oferta de produtos de qualidade para população, integração entre empresas e indústrias, dobrar o volume de crédito rural aplicado nos dois primeiros anos de Governo com aumento de oferta de assistência técnica; capacitação dos profissionais parceiros para melhoria dos fluxos de negócios, promoção do desenvolvimento integrado e sustentável no setor agrário buscando parceria junto as prefeituras e empresas privadas por exemplo, além da prioridade do uso de alimentos produzidos no Rio de Janeiro para alimentação em escolas e presídios por exemplo.
“É um dia muito feliz e a agricultura no Estado está sofrível. É um trabalho ousado mas acredito no trabalho do secretário. Certamente vamos ter uma evolução gigantesca no trabalho do campo e da pesca. Vamos aproveitar nossos portos para exportar nossos produtos para o mundo, como por exemplo nossa carne”, finalizou o governador Witzel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *