Projetor do Cine Arte UFF continua quebrado sem previsão de conserto

Em abril a Universidade Federal Fluminense (UFF) anunciou o investimento de R$ 500 mil para manutenção de equipamentos e espaços do Centro de Artes, que fica em Icaraí. Foi quando o Cine Arte UFF teve o projetor danificado e uma nova peça será importada para o reparo.

Os R$ 500 mil contemplam alguns reparos no Centro de Artes, entre eles o projetor. Até o dia 9 o cinema está utilizando um projetor antigo, para filmes em acetato de 35 mm. Por isso programação só exibe filmes mais antigos, desde a digitalização dos cinemas.

“Dentre as ações previstas, estão a aquisição de dispositivos para o restabelecimento do Cine Arte UFF, que inclui a compra de peça importada, que exige prazo de licitação e o tempo de entrega do material. Esta é uma realização que reafirma o compromisso da UFF com a arte e com a cultura e o seu amplo papel formador na sociedade”, frisou reitor da UFF, professor Antonio Claudio Nóbrega  referindo-se também a outras reformas no complexo cultural.

Equipamento passará por substituição de peça importada. Foto de Paula Fernandes – SCS UFF

O Centro de Artes da UFF explicou que o cinema ainda está fechado pois está trabalhando para a substituição do projetor. Ainda não há previsão para a conclusão. “Estamos aguardando o processo licitatório e a importação da peça necessária. Estamos com uma mostra com projeção em 35mm, até o próximo dia 9. Seguimos no processo de substituição da peça danificada do projetor digital”, diz a nota. Mas questionado sobre o valor dessa peça, a UFF não se manifestou até o fechamento dessa edição.

De acordo com a Associação Brasileira de Cinematografia (ABC) a transição para o cinema digital (DCinema) é uma realidade em todo o mundo. A transição digital significa a substituição dos projetores 35 mm – no mercado há mais de 100 anos – por equipamentos digitais. A projeção de película e a projeção digital são completamente diferentes.

“No projetor de película, a luz atravessa um obturador que a bloqueia durante 24 vezes por segundo para que o filme possa mover-se. Por isso é possível perceber a tela piscando levemente. Já o digital usa microespelhos para ‘ligar’ e ‘desligar'” (…) Cada pixel das cores primárias (vermelho, verde e azul) fazendo que suas cores mudem de estado em cada fotograma do filme. Com isto a tela não fica mais apagada durante algum tempo e a eficiência é maior. Não existem também as oscilações mecânicas do movimento da película e a projeção é completamente estável”, explicou José Francisco Neto, engenheiro eletrônico.

HISTÓRIA DO CINE ARTE UFF

De acordo com nota o Cine Arte UFF foi criado em 1968, que fica dentro do Centro de Artes UFF, por um grupo de cineastas, críticos e amantes do cinema que incluía Nelson Pereira dos Santos, Fabiano Canosa, Luiz Alberto Sanz, Roberto Duarte, Cosme Alves Neto e pelo então reitor Manoel Barretto Netto. Realizada no dia 12 de setembro, a sessão de abertura foi a estreia brasileira de “Samson”, do cineasta polonês Andrzej Wajda, parte de uma trilogia sobre o Gueto de Varsóvia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.