Projeto social arrecada mantimentos para abrigo de SG

Geovanne Mendes

Pensando em minimizar o sofrimento de 155 idosos internados no Abrigo Cristo Redentor, localizado no bairro Estrela do Norte, em São Gonçalo, o projeto Geração Careta, que existe há 14 anos em Icaraí e não tem fins lucrativos, começou uma campanha para arrecadar alimentos e produtos de higiene pessoal e limpeza, uma vez que o abrigo de idosos passa por dificuldades financeiras e sofre há quase dois anos com a paralisação de repasse de verbas do Governo do Estado.

Um dos responsáveis pela organização da campanha, o professor de artes marciais Richard Clark disse que a ideia surgiu após uma visita à instituição. Os donativos arrecadados estão sendo entregues na sala do Geração Careta, no Estádio Caio Martins, em Icaraí.

“Visitamos o Abrigo Cristo Redentor e vimos que eles estão sem alimentos e materiais básicos para ajudar no funcionamento da instituição. Vamos recolher as doações da população e encaminhá-las ao abrigo. Precisamos também da ajuda de empresários para que o movimento ganhe mais força”, comenta.

A psicóloga do projeto, Rosana Brandão, lembra da importância do Geração Careta para a sociedade.

“O projeto Geração Careta poderia ser chamado de fábrica de talentos. E não é nenhum exagero quando se olham os números. Foram mais de cinco mil alunos que passaram por um processo de aprendizado sobre o que é cidadania, inclusão e lição de vida. O programa ensina diversas artes marciais e ainda conta com um pré-vestibular comunitário destinado à população carente”, concluiu.

Problemas do Abrigo
Os problemas vão além da falta de alimentos ou materiais de higiene limpeza, pelo menos é isso o que afirma uma das administradoras do abrigo. De acordo com Cíntia Magalhães, o asilo sobrevive atualmente devido às doações da população e também graças a um restaurante construído dentro do abrigo, que ajuda na arrecadação e, com isso, alguns funcionários e fornecedores são pagos. Ela denuncia a falta de remédios, fraldas geriátricas, roupas, sapatos e que sem a verba destinada à instituição estes itens ficam cada vez mais escassos.

O Governo do Estado foi procurado, porém, até o fechamento desta edição não tivemos resposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − três =