Projeto Gugu é declarado Patrimônio Cultural Imaterial do Rio

Na semana que completou quatro anos da morte do fundador do Projeto Gugu, Carlos Augusto Bittencourt Silva, o programa que possui 37 núcleos de ginástica, dois de dança de salão e um coral, foi declarado como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro. O título foi aprovado, em segunda discussão, através do Projeto de Lei 2766/2017 do deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Agora o projeto poderá ser sancionado ou vetado pelo governador Wilson Witzel em até 15 dias.

A viúva Regina Bittencourt, presidente do Projeto Gugu, explicou que ficou muito emocionada com a aprovação. “Fui pega de surpresa com esse projeto e realmente é um valor imenso pelo reconhecimento de um trabalho que sempre foi feito com muito amor e muito carinho. Foi criado pelo meu marido e com a melhor das intenções. Fiquei muito lisonjeada ainda mais que na última quinta-feira [15] completou quatro anos da morte do Gugu e foi muito emocionante”, contou Regininha, como é carinhosamente conhecida.

O autor do projeto também comentou o feito. “Saúde, bem-estar e autoestima. Essas são as principais contribuições do Projeto Gugu para idosos e idosas de Niterói. Este projeto, de certa maneira, se confunde com a alma da cidade, que tem o maior percentual de idosos do Estado do Rio de Janeiro. É o município, portanto, com a presença mais expressiva de pessoas com idade acima de 60 anos. É importante que as políticas públicas por um lado e a sociedade civil por outro desenvolvam ações para favorecer e qualificar as pessoas que chegam neste estágio etário. Considero o Projeto Gugu mais que uma iniciativa pontual, mas sim uma das principais contribuições da sociedade civil niteroiense, em parceria com o Poder Público, para dignificar a vida dos idosos”, finalizou Waldeck.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *