Projeto de motopatrulhamento sai do papel em Niterói

Wellington Serrano –

O comandante do 12º BPM, Márcio Rocha, acompanhado do capitão da PM, comandante do pelotão de Motocicletas, Carlos Henrique Elethério, apresentou com exclusividade para A TRIBUNA o Projeto de Motopatrulhamento que será a nova modalidade de policiamento com motocicletas da Polícia Militar de Niterói. A partir desta terça-feira (23) terá início o treinamento dos motociclistas.

Segundo Rocha, o projeto visa incrementar as ações policiais militares em busca da redução do tempo de pronta resposta à população. “Estamos com o processo sobre isso em andamento”, comemorou o comandante. Ele disse que designou o capitão Elethério, que é cursado no Grupo Tático de Motociclista da PM, para comandar o projeto. “O policiamento consiste no emprego de policiais militares devidamente treinados para o uso eficiente e seguro de motocicletas em ações policiais”, disse o comandante.

O comandante ressaltou que o trabalho do novo grupo será mediante analise e em cima das estatísticas criminais. “O motopatrulhamento vai ter como missão apoiar as Unidades Policiais Militares de área nas atividades de policiamento ostensivo, principalmente em áreas com maiores índices de criminalidade, além de atividades de Operações de Polícia Militar de Choque e escoltas motorizadas”, explicou.

O conceito niteroiense de emprego do motopatrulhamento foi construído a partir de projetos elaborados pelo diretor proprietário de A TRIBUNA, Jourdan Amora que, em encontros com o comandante, apresentou um esboço do projeto como funcionaria em Icaraí logo adquirido pelo líder da corporação.

Segundo o capitão Elethério, os policiais selecionados para compor o projeto, que utilizará 18 motos, passarão por técnicas de pilotagem de alto risco e motopatrulhamento, abordagem e apresentação dos dados estatísticos para identificação da Mancha Criminal, direcionando da atuação do Pelotão.

“Iremos atuar conforme a área, sendo em duplas ou em trios para proporcionar uma abordagem segura tanto para o motociclista quanto para a população. As motos já estão atuando nas ruas, porém com a doutrina empregada teremos um resultado melhor na diminuição dos índices de criminalidade”, explicou o capitão.

“A partir de agora, a sociedade niteroiense passará a observar a execução de policiamentos onde, três ou quatro motocicletas, utilizadas por quatro ou cinco policiais militares, atuarão de forma integrada no atendimento de ocorrências e na execução de operações policiais militares”, acrescentou o comandante Rocha.

Segundo ele, diante do atual cenário de mobilidade urbana nos grandes centros populacionais, como é o caso de Niterói, o emprego de policiais militares com motocicletas vai assumir um importante papel na prestação de serviços de segurança pública. “Com esse novo formato de policiamento a PM pretende prestar um serviço ainda mais eficiente em prol da sociedade”, concluiu o comandante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 16 =