Projeto de jovem moradora de SG é selecionado pela NASA

A moradora do Mutuapira, em São Gonçalo, Raphaela Reis de 19 anos, está em busca de ajuda para representar a cidade em uma competição da NASA, que será realizada em Abril de 2022, na cidade de Hunstville, no Alabama (EUA). A jovem faz parte da equipe Spacetroopers que desenvolveu um carrinho, movido a força humana, para fazer coleta de solo, pedras e sedimentos que a NASA achar necessário em solo lunar.

Ao todo foram selecionados 113 projetos para o NASA Human Rover Chalenge, com quatro instituições brasileiras, todas do Estado do Rio, sendo uma de São Gonçalo, da qual Raphaela faz parte. Ela é estudante bolsista, através de esportes (vôlei e futebol), de um colégio particular no Centro da cidade, e recebeu um convite para participar desse projeto em que a escola está inserida há alguns anos.

“Como a Raphaela é atleta, a equipe utiliza o bom preparo físico dela para ser copiloto desse carro.
A pandemia atrasou em dois anos a ida deles para os EUA, mas ano que vem, a competição foi liberada por conta do avanço da vacinação. Precisamos de patrocínio para o visto da Raphaela e para compra das passagens”, explicou a mãe da jovem, a técnica de enfermagem Aline Reis de 42 anos.

A competição está marcada para abril de 2022 e Raphaela está terminando o 3° ano do ensino médio.

“Esse é o último ano que ela pode competir como atleta, sendo piloto ou copiloto do carro, o pré-requisito para a competição é estar cursando o ensino médio”, frisou.

Mas a participação da jovem não vai terminar por aí, Aline afirma que a filha vai continuar no projeto como mentora a partir de 2023.

Raphaela, que nasceu em Niterói, está ansiosa para a disputa mas promete usar do autocontrole e da racionalidade para ser destaque.

“Ano passado tínhamos conseguido um patrocínio. Entrei em 2019 e estou muito contente e muito feliz. Estou ansiosa mas com calma a gente tem muita chance”, prometeu a estudante.

De acordo com a NASA o objetivo principal do projeto que equipes de alunos projetem, desenvolvam, construam e testem rovers movidos a energia humana, capazes de atravessar terrenos desafiadores e ferramentas de tarefa para a conclusão de várias tarefas de missão. O curso de competição requer que dois alunos, pelo menos uma mulher, usem o veículo projetado pelo aluno para percorrer um curso de aproximadamente meia milha que inclui um campo simulado de destroços de asteroides, pedras, sulcos de erosão, fendas e um antigo leito de rio. Os requisitos de peso e tempo do desafio estimulam a compactação, leveza, alto desempenho e eficiência do equipamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 5 =