Projeto de combate à dengue chega à Região Oceânica

Anderson Carvalho –

A Região Oceânica de Niterói vai receber no final de junho os mosquitos com Wolbachia, que visa substituir todos os mosquitos Aedes aegypti que transmitem a dengue, zika e chikungunya. Há duas semanas começou a mobilização comunitária nos bairros oceânicos, através de reuniões nas associações de moradores e conselhos comunitários, para levar informações sobre o projeto à população. A iniciativa é chamada de Eliminar a Dengue: Desafio Brasil, foi elaborada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e implementada como projeto-piloto primeiro no bairro de Jurujuba, onde já chegou a 90% de substituição dos mosquitos.

Uma equipe de técnicos da Fiocruz está presente nos bairros de Cafubá, Jacaré, Jardim Imbuí, Piratininga, Santo Antônio e Camboinhas, levando informações aos moradores. Eles têm o apoio da prefeitura, que ajuda na mobilização da população. A iniciativa da Fiocruz ajudará a proteger mais 32 mil habitantes das doenças transmitidas pelo mosquito.

“O aumento da frequência de mosquitos Aedes aegypti com Wolbachia no Ponto Final, em Jurujuba é considerado um resultado extremamente satisfatório e corrobora a autossustentabilidade do método. Agradecemos a população do Ponto Final, de toda Jurujuba e também da Região Oceânica, onde atuamos no momento, pelo contínuo apoio recebido desde o início das nossas atividades no município”, reforça Luciano Moreira, pesquisador responsável pela iniciativa no Brasil.

De acordo com Gabriel Silvestre, coordenador de Entimologia da Fiocruz, com a liberação do mosquito com Wolfbachia nas regiões, em poucos meses eles substituirão as espécies que contaminam a população. “Os mosquitos com a bactéria foram criados em nossos laboratórios e eles irão cruzar com os outros mosquitos. Os filhotes deles terão já a Wolfbachia. Assim faremos a substituição da espécie. Já foram liberados ainda de Charitas, Preventório, Grota e São Francisco, onde foram registrados inúmeros casos de dengue, zika e chikungunya. Não há previsão de começar na área central, Pendobita e zona norte”, contou Silvestre.

Essa bactéria é natural, pois existe em muitos outros insetos. A iniciativa é parte do programa internacional Eliminate Dengue: Our Challenge. No Brasil, o projeto é apoiado pelo Ministério da Saúde e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com contrapartida da Fiocruz. A Secretaria de Saúde de Niterói e a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro atuam como parceiros locais na implantação do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × dois =