Projeto aprovado cria lei que incentiva o uso de bicicletas em Niterói

Passar muito tempo parado no trânsito não é mais possível no cotidiano apressado do niteroiense. E essa é uma das primeiras motivações para que passemos a utilizar a bicicleta como meio de transporte considerando a “rapidez e praticidade”. Em seguida, vêm saúde (24,2%) e custo (19,6%).

Usar a bicicleta virou uma alternativa para o morador que não encontra mais praticidade e velocidade no carro. Pensando nisso, o vereador Luiz Carlos Gallo (Cidadania) apresentou o Projeto de Lei nº 3.474/2020, que institui a Semana de Incentivo ao Uso de Bicicleta e Respeito ao Ciclista de Niterói.

E por que investir no transporte cicloviário? Cidades com altos níveis de qualidade em mobilidade urbana costumam estimular esse tipo de deslocamento por diversos motivos, entre eles a melhoria no fluxo do trânsito e a maior praticidade e rapidez de locomoção, sem contar benefícios como redução na emissão de CO² e dos problemas de saúde (com a população mais ativa, diminuem riscos de doenças cardiovasculares).
Investir no uso de bicicletas não significa abrir mão de outras formas de transporte, mas de integrá-las a esses modais, com impacto positivo para todo o sistema de trânsito. Em Niterói observa-se que 50% das viagens que fazemos são de curta distância, de um a três quilômetros. Exemplos cotidianos: ir à padaria, ao supermercado, à academia. São deslocamentos que podem ser feitos pedalando. Você desocupa espaço na rua. Assim, os trajetos que realmente têm que ser feitos de carro terão menos engarrafamentos.


As projeções indicam que a ciclovia na avenida Marquês de Paraná tem potencial de ampliar o fluxo de bicicletas que transita no eixo entre Icaraí e Centro em até 50%, resultando na redução de até 1 mil carros circulando diariamente nestas vias, gerando um considerável impacto positivo no trânsito. Ao prover a cidade de infraestrutura para bicicletas geramos benefícios para ciclistas e não ciclistas, através da redução do tráfico e da poluição ambiental.


No Bicicletário Araribóia, que completou três anos de funcionamento, temos hoje, cerca de 10 mil cadastros, este dado é um importante indicador de quão ciclável é uma cidade. Em breve, a malha cicloviária da Região Oceânica e o próprio Bicicletário Araribóia, passarão por ampliação.

O objetivo da lei apresentada por Gallo é difundir o uso da bicicleta como lazer e meio de transporte.

“O uso da bicicleta, além de ser uma prática saudável, traz benefícios econômicos quando utilizada como meio de transporte. Seu uso economiza recursos destinados à mobilidade urbana e também ajuda o meio ambiente com a redução de resíduos da combustão dos veículos”, disse Gallo.

De acordo com texto, na semana das comemorações a Prefeitura de Niterói deverá desenvolver ações educativas, envolvendo a sociedade, voltadas para a orientação e conscientização da população sobre a importância e as vantagens do uso correto da bicicleta como meio de transporte sustentável. O projeto foi aprovado na Câmara dos Vereadores e aguarda a sanção do prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + 11 =