Programação especial para celebrar Padroeira do Brasil

Raquel Morais –

Amanhã (12) é celebrado o Dia de Nossa Senhora Aparecida e em Niterói e em São Gonçalo, não falta programação para homenagear a Padroeira do Brasil. Missas, almoço tradicional e procissão vão marcar o dia tão esperado por muitos fiéis que são devotos da santa.

Em Niterói não existe uma igreja dedicada para a santa, mas a Igreja de São Jorge, no Centro de Niterói, vai homenagear Nossa Senhora Aparecida com a reza do terço às 9h, seguida de procissão até a Catedral São João Batista, no mesmo bairro. O padre Wallace vai celebrar a missa em intenção à santa e depois da celebração terá uma recreação para as crianças no pátio da igreja, em comemoração ao Dia das Crianças.

Na paróquia do Patronato, na Rua Doutor Francisco Portela 762, em São Gonçalo, sete missas vão marcar o dia em homenagem à santa: 7h, 8h30min, 10h, 12h, 14, 16h e 19h. Das 12h às 14h será servido almoço no pátio da igreja com duas opções de cardápio já definidas: chuleta (R$ 15) e frango na brasa (R$ 12). Após a última celebração, ministrada pelo Arcebispo de Niterói Dom José Francisco Rezende Dias Dom José, os fiéis seguirão em procissão luminosa pelas ruas da cidade.

Também em São Gonçalo, na paróquia do Galo Branco, que fica na Travessa Nossa Senhora Aparecida, s/nº, a festa começa às 6h com uma alvorada de fogos seguida às 6h30min de café da manhã partilhado. Às 7h30min, às 9h30min (presidida por Dom Alano Maria Pena) e às 11h também serão celebradas missas. Ao meio dia será servido um almoço com música ao vivo e às 17h a procissão vai emocionar os fiéis com missa após a caminhada celebrada pelo Bispo Auxiliar de Niterói Dom Luiz Antônio Lopes Ricci.


HISTÓRIA DA SANTA

A história de Nossa Senhora da Conceição Aparecida tem seu início em meados de 1717, quando chegou a notícia de que o Conde de Assumar, D.Pedro de Almeida e Portugal, Governador da Província de São Paulo e Minas Gerais, iria passar pela Vila de Guaratinguetá, a caminho de Vila Rica, hoje cidade de Ouro Preto – MG. João Alves lançou a rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, sem a cabeça. Lançou novamente a rede e apanhou a cabeça da mesma imagem. Daí em diante, os peixes chegaram em abundância para os três humildes pescadores. Durante 15 anos seguidos, a imagem ficou com a família de Felipe Pedroso, que a levou para casa, onde as pessoas da vizinhança se reuniam para rezar. A devoção foi crescendo no meio do povo e muitas graças foram alcançadas por aqueles que rezavam diante da imagem. A fama dos poderes extraordinários de Nossa Senhora foi se espalhando pelas regiões do Brasil. A família construiu um oratório, que logo tornou-se pequeno. Por volta de 1734, o Vigário de Guaratinguetá construiu uma Capela no alto do Morro dos Coqueiros, que foi aberta à visitação pública, em 26 de julho de 1745. Com o aumento do número de fiéis, em 1834 foi iniciada a construção de uma igreja maior (atual Basílica Velha).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × cinco =