Programa Criança Feliz retoma visitas presenciais em Maricá

Equipes acompanham o desenvolvimento da criança e da família na preparação para o nascimento

As famílias de Maricá inseridas no Programa Criança Feliz já podem comemorar. Durante o encontro de celebração pelo “Mês da Infância”, realizado nessa terça-feira (31), na CEPT Professora Zilda Lopes, o secretário de Assistência Social, Jorge Castor, anunciou a retomada do programa, que tem por objetivo o desenvolvimento infantil integral da criança na primeira infância e o acompanhamento de gestantes e família na preparação para o nascimento, além de cuidados perinatais.

De acordo com Jorge Castor, diante do avanço na vacinação da Covid-19 em Maricá, será possível retomar as visitas presenciais aos domicílios das cerca de 400 famílias atendidas pelo Criança Feliz.

“Esse é um programa do Governo Federal do qual Maricá tem orgulho de fazer parte”, disse Castor. “Com a pandemia tivemos que nos resguardar e trabalhar remotamente, mas agora podemos retornar com a visitação presencial. Nada como olhar no olho das pessoas e presenciar o sorriso de um pai ao ver seu filho sendo assistido presencialmente”, comemorou o secretário, frisando que as visitas seguirão todos os protocolos de segurança e prevenção ao coronavírus.

Segundo Camila Coutinho, coordenadora do programa em Maricá, investir na primeira infância só traz benefícios para a sociedade.

“O Criança Feliz existe desde 2019. Nossos visitadores vão até a residência das famílias propor atividades recreativas com o intuito de fortalecer o vínculo entre a criança e o seu responsável”, explicou. “Estudos comprovam que o valor investido no desenvolvimento da primeira infância, retorna em até sete vezes para sociedade e isso é maravilhoso”, avaliou Camila.

A visitadora Daiane Carla lembrou que mesmo com a pandemia de Covid-19 o programa não parou em Maricá.

“Na pandemia não podíamos mais fazer visitas, então tivemos que nos reinventar e buscar alternativas. Começamos a enviar as atividades por meio de aplicativos de mensagens e buscamos outras formas de continuar levando o atendimento às crianças e seus familiares. O mais importante é poder conhecer as famílias, estar próximo a elas e principalmente entender as necessidades dessas famílias”, afirmou Daiane.

Ainda segundo a visitadora, é por meio do Criança Feliz que muitas famílias conseguem ter acesso às políticas públicas oferecidas em Maricá como, por exemplo, a moeda social Mumbuca.

Importante destacar que as famílias que ainda não são atendidas pelo Programa Criança Feliz, podem procurar uma das unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e se cadastrar. Para isso, a família só precisa estar inserida no Cadastro Único.

O Criança Feliz tem como público alvo gestantes, crianças de até três anos e suas famílias beneficiarias do Bolsa Família; crianças de até seis anos e suas famílias beneficiarias do BPC2; crianças de até seis anos afastadas do convívio familiar em razão de aplicação de medida protetiva.

Participaram do encontro as equipes das secretarias de Assistência Social (Programa Criança Feliz, CRAS e CREAS), as pastas da Educação e Saúde, o Conselho Municipal da Criança e Adolescente (CMDCA) e o Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 5 =