Profissionais de Saúde denunciam falta de equipamentos de proteção

O Conselho Regional de Enfermagem (Coren) informou que recebeu 127 denúncias de profissionais da área, grande parte com relatos sobre falta de equipamentos e produtos de prevenção para evitar o contágio da Covid-19 em unidades hospitalares do Rio. A falta dos chamados EPIs – Equipamentos de Proteção Individual – é apontada como um dos principais fatores para contaminação do coronavírus, que já vitimou vários profissionais da área de saúde.

O levantamento do órgão aponta que cerca de 100 profissionais de enfermagem e 30 médicos já teriam sido infectados pela Covid-19. Também de acordo com o sindicato, essas informações estão sendo repassadas para o Ministério Publico do Trabalho (MPT) e Vigilância Sanitária. As principais denúncias são de equipamentos fora dos padrões, unidades hospitalares sem sabão e papel toalha, além da falta de máscaras cirúrgicas.

O Coren informou que uma força-tarefa e um gabinete de crise para enfrentamento da pandemia, criado pelo órgão está apurando várias denúncias por fiscais em todo Estado e conselheiros formados por enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, estão em ação.

“Já foram registradas 127 denúncias recebidas sobre a Covid-19, das quais foram apuradas aproximadamente 70%. O Coren-RJ prossegue com o envio de ofícios denunciando as irregularidades ao MP e Vigilância Sanitária. Identificados em torno de 100 profissionais de enfermagem afastados no Estado por infecção ou suspeita da Covid-19. Mais de 10 instituições não possuem plano de contingência e aproximadamente 15 mil profissionais estão expostos pela falta de máscara cirúrgica, N95 e luvas”, disse o conselho

O órgão revelou ainda que está apurando junto às Secretarias de Saúde as características dos leitos dos oito hospitais de campanha.

“A Ação Civil Pública da Defensoria Pública da União intimou o Estado e o município a se pronunciarem sobre os leitos que serão ofertados na rede.  Até o momento, só temos a ciência formalizada da abertura de até 250 leitos no Hospital Federal de Bonsucesso, sendo todos de terapia intensiva (CTI),  e 20 leitos no Hospital Federal de Ipanema, também de terapia intensiva. A fiscalização está atualizando o dimensionamento dos seis hospitais federais. No entanto, temos a ciência que, no dia 31 de maio, 4117 contratos temporários vencerão. Não há previsão de renovação. Foi realizada uma videoconferência com o presidente do Cofen, Manoel Neri,  e os presidentes dos Corens. Manoel Neri solicitou que a Fiscalização sensibilize os enfermeiros responsáveis técnicos (RTs) sobre a notificação dos profissionais com casos suspeitos ou confirmados de Covid-19. O Coren-RJ enviará ofício circular a todas aos responsáveis técnicos de todas as unidades de saúde do Rio de Janeiro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + sete =