Professores fazem ato contra o retorno das aulas presenciais

Dirigentes do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe) de Niterói realizaram uma manifestação contra a reabertura das escolas públicas e privadas na cidade, na tarde desta sexta-feira (9). Durante o protesto, eles colaram cartazes com palavras de ordem e reivindicações na fachada e acenderam velas nas escadas da Câmara Municipal em memória das vítimas da pandemia.

De acordo com Elisângela Beltrão, diretora do Sepe-Niterói, a manifestação decorre da insistência dos governos estadual e municipal em reabrir as escolas para atividades e aulas presenciais na grave situação em que se encontra a pandemia. O decreto publicado pela prefeitura que prorrogou o Período Emergencial de Prevenção contra a Covid-19 até 11 de abril, permite a reabertura das escolas da Educação Infantil desde o último dia 5 de abril e do Ensino Fundamental e a partir da próxima segunda-feira (12), nas redes pública e particular.

“A Escola Heitor Villa-Lobos, na Ilha da Conceição, por exemplo, não tem um funcionário de serviços gerais. Isso já seria um absurdo em tempos normais, imagina nessa situação de crise sanitária. Como a gente vai trabalhar sem ter profissional de limpeza, como vamos reabrir uma turma de nono ano”, afirmou alegando ainda que há uma dificuldade de diálogo com o poder executivo da Niterói e, quando recebe as reivindicações, não é dada nenhuma posição sobre a possibilidade ou não de atendimento das questões.

Para Diogo Oliveira, presidente do conselho de representantes de escolas, se os governos colocam a educação como atividade prioritária a prioridade na vacinação também deve ser prioritária. A categoria defende que a reabertura plena das escolas ocorra apenas com um sério controle da pandemia, com vacinação prévia dos profissionais da educação, com avanço na vacinação do conjunto da população e com investimentos realmente significativos na infraestrutura das escolas, para que haja condições sanitárias adequadas.

“A gente está defendendo que haja um recuo no retorno das aulas presenciais, pois estamos há dias com mortes na casa das 4 mil, a ocupação dos leitos com superlotação e o que a cidade deve fazer é prolongar as medidas mais duras de restrição e lockdown na cidade. Manter só o que é mais essencial para combater a curva da pandemia e combater a curva da contaminação. Enquanto isso, manter o ensino remoto, investindo urgentemente na inclusão digital de todos os nossos alunos e de todos os profissionais da educação”, ponderou.

Ainda de acordo com os dirigentes do Sepe, com o retorno das aulas, pode ocorrer um natural aumento na procura por vagas nas unidades de ensino por parte de família que antes tinham seus filhos matriculados na escola privada, devido ao empobrecimento das famílias ao longo desse ano de pandemia.

A Secretaria Municipal de Educação e a Fundação Municipal de Educação informaram que têm promovido, desde o início do ano, uma série de debates, reuniões, audiências, dentre outros, com o objetivo de encontrar alternativas para a retomada das atividades escolares que sejam capazes de assegurar, ao mesmo tempo, o direito fundamental à educação e a segurança sanitária das escolas da rede municipal e de todos os profissionais que nelas atuam.

As aulas da rede municipal seguem em formato remoto entre os dias 12 e 23 de abril. A Secretaria de Educação, em parceria com a Secretaria de Saúde, continuará a analisar, diariamente e de forma responsável, os indicadores da pandemia no município e no entorno para a tomada de decisões sobre o formato das aulas. No ensino remoto, os alunos do Ensino Fundamental devem acessar a plataforma pedagógica Niterói em Rede para acompanhar as aulas on-line, já a Educação Infantil trabalha a manutenção de vínculos entre as crianças e os professores.

O Plano de Retomada das Aulas, divulgado em janeiro, prevê ações de inclusão digital e aumento da conectividade da rede, como a distribuição de tablets para os alunos do Ensino Fundamental e uma ajuda de custo para professores na aquisição de equipamentos. Além disso, outras iniciativas estão sendo implementadas como a mobilização de tutores/bolsistas para auxiliar a aprendizagem dos alunos, melhorias na plataforma pedagógica e a criação do estúdio para a gravação e edição de videoaulas.

O Sepe e demais entidades representativas da sociedade têm sido convidados a participar deste amplo diálogo. Num momento tão complexo e de tantas dificuldades, acreditamos que o diálogo é o melhor instrumento para a defesa da educação pública em nosso município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 2 =