Professor de 80 anos vai fazer Enem pela segunda vez

Camilla Galeano

A idade não define os limites de uma pessoa. É seguindo essa premissa que Expedito Jorge Rangel, conhecido como Professor Rangel, de 80 anos, vai prestar o Enem pela segunda vez para iniciar a sua quarta faculdade. Formado em Letras, Administração e Bacharel em Direito, ele iniciou um curso de extensão na Universidade Federal Fluminense (UFF). Apaixonado pelo cinema ele quer se aprofundar no assunto e tem o sonho de fazer vídeo-aulas para crianças e por isso quer fazer Cinema.

“Desde os 16 anos eu tive contato com o cinema. Eu fazia o Cine Propaganda Fluminense, que era uma agência de cinema que fazia propaganda do comércio local. Assim surgiu o meu gosto pelo cinema”, explica o professor Rangel.

“Eu já assisto algumas aulas como ouvinte na UFF, mas quero iniciar o curso. Quero poder fazer vídeo-aulas com professores para que seja passado nas escolas e que isso auxilie as crianças”, diz.

No Brasil, dos 8,2 milhões matriculados no ensino superior, 7.813 são pessoas com 65 anos ou mais matriculadas num curso de graduação no país, segundo o último Censo da Educação Superior do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) de 2019. Esta é a faixa etária que apresentou maior crescimento desde 2013: 46,3%.

Professor Rangel, que já atuou em escolas do município de São Gonçalo, Niterói e de outras cidades do estado, encerrou suas atividades nas salas de aula em 2019. Ele vê o Enem muito além do que uma simples prova.

“É uma oportunidade para as pessoas alcançarem um sonho. E por isso eu acho que deveria ser mais humanizado. O Enem não é pedagógico. Ele é feito só para eliminar o candidato. A redação, por exemplo, eu acho que deveria ser um tema livre. Porque o candidato já tem muita coisa para estudar e ainda tem a surpresa de não saber qual o tema da redação”, ressalta.

Apesar de todo entusiasmo para fazer a prova, Professor Rangel tem o receio de ser impedido de realizá-la devido a sua idade.

De acordo com o Inep, os participantes pertencentes ao grupo de risco para a Covid-19 terão atendimento especial no dia da prova. Esses candidatos terão direito a ficar em uma sala com menos participantes. Para os idosos as salas já serão separadas com base na data de nascimento deles.

O professor que dedicou uma vida inteira à sala de aula, agora quer estar do outro lado e quer ser um exemplo para os mais jovens. Quero participar para motivar o que não conseguiram. Quem não conseguiu é porque desistiu”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =