Primeira etapa de obras do POP será concluída até março

A primeira etapa de obras do Parque Orla Piratininga (POP) será concluída até março de 2021, segundo previsão da Prefeitura de Niterói. O primeiro jardim filtrante já está sendo instalado e o trabalho avança no entorno da Lagoa. O projeto contempla a recomposição vegetal da orla da Lagoa, abrangendo uma área de mais de 150 mil metros quadrados. O POP será um passo fundamental para a despoluição da lagoa.

Na quinta-feira (05) de manhã, o prefeito Rodrigo Neves, acompanhado da secretária de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, Ellen Benedetti, e dos secretários de Obras, Vicente Temperini, e de Meio Ambiente, Eurico Toledo, visitaram o local.

“Esta primeira etapa de obras consiste na implantação desses jardins filtrantes para o tratamento das águas que chegam até a lagoa. Além disso, criamos um elemento paisagístico para que a gente possa incorporar no entorno de toda a lagoa o POP. O parque terá ciclovia, ecomuseu mostrando a história da lagoa, lugares para caminhada, parques infantis e para a terceira idade”, explicou Rodrigo Neves.

As lagoas são de responsabilidade do Estado, porém a Prefeitura buscou, por meio de convênio, fazer um sistema de cogestão. Com isso, após estudo com a participação de dezenas de técnicos, de ambientalistas e também dos melhores especialistas de recuperação de sistemas lagunares e corpos hídricos, foi definida a concepção de um projeto inovador para a área da Lagoa de Piratininga.

“Este projeto é o primeiro desse tipo no Brasil e foi estruturado pelas empresas que ganharam a concorrência internacional, uma de Amsterdã e outra da França, que desenvolveram parques sustentáveis na Europa. Eles desenvolveram e estruturaram com a nossa equipe um projeto inovador, que vai transformar completamente essa região e, sobretudo, ajudar na recuperação das lagoas”, destacou.

Rodrigo Neves enfatizou que todo o esforço que a gestão municipal está fazendo para a recuperação da lagoa, precisa também do apoio da população. De acordo com o prefeito, ainda há condomínios e residências que não estão ligados à rede coletora de esgoto. Ao longo dos últimos anos, foram aproximadamente 11 mil notificações só na Região Oceânica.

“Nós vamos devolver à cidade uma área que, sem dúvida, vai ser um dos locais mais especiais de lazer e convivência das famílias de Niterói. E vai gerar renda e emprego para a cidade, já que teremos um museu e parques, além de permitir a retomada da atividade da pesca”, afirmou o prefeito.

Um dos diferenciais do parque é a implantação de um sistema de gestão de águas pluviais composto por bacias de sedimentação, jardins filtrantes, jardins de chuva e biovaletas para a captação e tratamento das águas provenientes dos rios e da rede de drenagem das principais bacias contribuintes à Lagoa de Piratininga.

Serão cerca de 10 quilômetros de sistema cicloviário ao longo de toda a orla da Lagoa, quatro píeres de contemplação e seis píeres de pesca, três mirantes e 17 áreas de lazer, sendo três delas com quadra de esporte, além de brinquedos e academia de ginástica. O local ainda abrigará um museu. O acesso ao parque será favorecido para pedestres e ciclistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 2 =