‘Crime da moda’: mais um preso por furto de cabos em Niterói

Vítor d’Avila

Mais uma pessoa foi presa em Niterói por furto de cabos telefônicos. O caso mais recente aconteceu na madrugada de quarta-feira (20), na Rua Coronel Gomes Machado, altura do número 360, Centro da Cidade. É o sexto preso pelo crime na cidade, em apenas três dias.

Militares do 12º BPM (Niterói), que estavam em patrulhamento pela Rua São Lourenço, na Zona Norte, foram alertados por um motorista que um homem estava tentando furtar os cabos. Os agentes foram ao local e flagraram o suspeito, de 53 anos.

O homem tentou fugir ao perceber a chegada dos policiais, mas foi alcançado. Ele foi abordado e, durante averiguação, os agentes descobriram que o acusado tem anotações criminais por furto, lesão corporal, ameaça e posse/cultivo de drogas.

No local, foram apreendidos uma faca e aproximadamente 50 metros de cabos cortados. O homem foi autuado em flagrante por furto e conduzido à 76ª DP (Niterói). Uma equipe da distrital realizou perícia no local.

Crime da moda

O crime de furto de cabos entrou na moda, na cidade de Niterói. Na madrugada de segunda-feira (18), outras cinco pessoas foram presas, em duas ocorrências diferentes.

Na Rua Saldanha Marinho, no Centro, um homem foi flagrado, em cima de uma carroça, tentando cortar cabos, utilizando uma faca de cozinha. O autor, de 35 anos, tentou fugir quando notou a chegada dos agentes, mas acabou sendo alcançado. Aos policiais, ele admitiu que iria vender o material em um ferro velho, que funciona 24 horas, na Comunidade do Sabão, em São Lourenço.

Horas mais tarde, naquela mesma madrugada, o batalhão recebeu alerta do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) de que quatro pessoas furtaram cabos na Avenida Dr. Acúrcio Torres, em Piratininga e estavam em fuga, numa picape Ford Pampa, em direção ao bairro de Maria Paula. Os policiais saíram em perseguição aos acusados e conseguiram fazer a abordagem na Rodovia RJ-100. Cerca de 50 metros de cabos foram apreendidos. Três homens e uma mulher, que estavam no veículo, foram presos em flagrante.

De acordo com o comandante do batalhão, coronel Sylvio Guerra, as prisões de autores de furtos de cabos são fruto do aumento da quantidade de abordagens durante as madrugadas. Ele destaca o trabalho contínuo da unidade para coibir esse tipo de prática.

“Isso tudo é fruto de abordagens que a gente tem feito de madrugada. O número de abordagens tem aumentado bastante e isso tem surtido muito efeito. Mas é muito difícil, porque você prende esse pessoal e dois, três dias depois estão na rua. Mas a gente não para de trabalhar”, explicou.

O extravio de cabos de telefonia interfere diretamente na qualidade do serviço recebido pelos usuários. Sem os materiais, a conexão de internet fica mais lenta, a rede telefônica tem funcionamento prejudicado e, na pior das hipóteses, ambos os serviços podem ser até mesmo interrompidos parcialmente, até que as operadoras consigam repor os materiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × quatro =