Presidente da Câmara de Niterói recebe moradores de Piratininga

Construção de ciclovia na Almirante Tamandaré tem causado revolta na população do bairro

Representantes da Associação de Moradores e Amigos de Piratininga (AMAPI) se reuniram na tarde de ontem com o presidente da Câmara de Vereadores, Milton Cal (PP). O encontro serviu para apresentar a posição contrária da entidade à construção da ciclovia da Avenida Almirante Tamandaré, em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói. Participaram também os vereadores Douglas Gomes e Paulo Eduardo Gomes.

A reunião aconteceu na Câmara e os parlamentares vão cobrar explicações sobre o que está sendo feito na região

De acordo com a vice-presidente da Associação, Mayra Moneteiro, dentre as reivindicações, está a retirada da ciclovia, exigência por parte da secretaria e subsecretaria dos projetos revisados e apresentação aos moradores, vistoria das obras na Almirante Tamandaré e a construção de um viaduto para Camboinhas.

“A nossa ideia é que os vereadores atendam ao nosso pedido. Nossa diretoria já fez uma reunião para alinhar os pontos que serão abordados. Estamos na expectativa que algo seja feito o mais rápido possível. As obras já estão na reta final, com entrega prevista para o final de fevereiro”, disse Mayra.

Ainda de acordo com Mayra, os moradores não foram ouvidos e as obras vêm causando total revolta em todos que precisam se locomover na região.

“Devido as obras, agora o trânsito congestionado acontece todos os dias, além da construção da ciclovia, há também obra na rotatória e a troca do asfalto. Tudo ao mesmo tempo. Revoltante demais como tudo está sendo feito”, relatou.

Segundo o presidente da Câmara, ele solicitou um relatório À AMAPI, com todos os pontos objeto de crítica, e, assim que possível, fará uma reunião com os secretários responsáveis pela obra.

“Estive na região e pude constatar o que está acontecendo. É preciso fazer algo para melhorar a qualidade de vida da população da região. Quero que os secretários nos apresentem o que foi feito e saber quais medidas podem ser tomadas para minimizar os impactos causados pela construção da ciclovia”, disse.

No próximo dia 21, às 18h será realizada uma audiência pública agendada para ocorrer na Escola Municipal Francisco Portugal Neves, em Piratininga sobre a Lei de Uso e Ocupação do Solo. A oportunidade será uma outra chance da Amapi debater a possível retirada da nova ciclovia instalada no bairro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.