Presidente Bolsonaro leva um tombo na inauguração de hospital de campanha

Além de não ter usado máscara para se proteger do contágio, o presidente  Jair Bolsonaro (sem partido) ainda levou um tombo, ao tropeçar numa mangueira, durante a inauguração do Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, no entorno do Distrito federal, nessa sexta-feira (05).

A unidade foi a primeira a ser construída pelo governo federal e repassada para a administração estadual, para atender pacientes que contraíram coronavírus na região, que segundo a Secretaria Estadual de Saúde, tem 297 casos confirmados e 6 mortes por Covid-19. A previsão é que o hospital já comece a funcionar ainda nesta sexta-feira.

Bolsonaro chegou de helicóptero, acompanhado dos ministros general Eduardo Pazuello, general Braga Netto e Marcos Pontes. A inauguração também é acompanhada pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e pelo secretário de Saúde, Ismael Alexandrino.

O governo estadual contratou uma organização social para gerir o hospital por seis meses. O governo vai repassar R$ 7,6 milhões por mês. A unidade terá 200 leitos de internação, dos quais 190 de enfermaria e 10 de UTI, com rede de gás instalada. Essa rede, os geradores elétricos e camas foram adquiridos com recursos do Ministério da Saúde. Segundo a Secretaria de Saúde de Goiás, a estrutura permite ampliar o número de leitos de UTI conforme a necessidade. O governo federal também será responsável pelo aluguel e a manutenção da estrutura física do hospital.

A unidade foi construído pelo governo federal, ao custo de R$ 10 milhões, e será mantido pelo governo de Goiás, que custeará insumos e equipes, com total de 263 colaboradores diretos – que incluem 45 médicos, 85 enfermeiros e técnicos em enfermagem, 23 fisioterapeutas, além de farmacêuticos, psicólogos e nutricionistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 14 =