Preparativos finais para Festa de São Pedro

Raquel Morais

Nesta quinta-feira é comemorado o Dia de São Pedro e a pacata igrejinha de Jurujuba, que tem o santo como padroeiro, já está em festa. Ontem começaram os preparativos, com a pintura da área externa da igreja, da imagem do padroeiro dos pescadores e início do Tríduo de São Pedro às 19h, que acontecerá até amanhã, véspera do grande dia.

Na quinta, a festa começa bem cedo, com a alvorada de fogos às 5h, seguida de duas missas: às 6h e às 9h, essa última celebrada pelo Arcebispo Emérito de Niterói, Dom Frei Alano Maria Pena. Após a celebração serão distribuídas senhas para a procissão marítima, um dos marcos das celebrações de São Pedro. Segundo uma das organizadoras da festa, Edilamar Bonfim, não se sabe ainda quantas balsas vão ser emprestadas para o evento. Provavelmente serão distribuídas 400 senhas, como acontece há mais de 10 anos. A procissão nas águas percorrerá a Baía de Guanabara na altura do Preventório, Charitas, São Francisco, Icaraí, indo até a direção do Museu de Arte Contemporânea (MAC). Depois retorna, passando pela Fortaleza de Santa Cruz, indo até o cais.

À tarde as comemorações continuam às 13h, com a reza do terço, às 15h tem celebração de missa seguida de benção, 16h show cultural, 17h será feito um louvor e às 19h a última missa do dia será celebrada pelo pároco da igreja, padre Magno, seguida do segundo momento mais aguardado para os devotos do santo, a queima do quadro de São Pedro.

Na sexta e no sábado, às 19h, serão celebradas duas missas e no dia 2 de julho, domingo, as festividades não vão parar. Às 9h será celebrada uma Santa Missa com batismo, às 10h sairá um comboio de motos do grupo Falcão Peregrino, do 12º Batalhão de PM de Niterói, no Centro, com a imagem de São Pedro, até a matriz em Jurujuba; e às 19h será celebrada a última missa dos festejos.

As festividades serão marcadas por barracas típicas e shows de samba, sertanejo universitário, forró e pop rock. De acordo com a organização da festa, cerca de 30 barracas já estão autorizadas a comercializar no bairro e uma van será disponibilizada para ajudar no transporte dos moradores do bairro, que fica fechado desde a altura do cais.

“Achei essa ideia da van maravilhosa. Sou moradora de Jurujuba há anos e sempre passamos por um período turbulento com o fechamento da rua para a festa de São Pedro. Ano passado a van ajudou muito nesse sentido. Chegava à noite do trabalho e tinha que ir caminhando até minha casa. Isso era muito cansativo”, comentou Maria de Fátima Alves, de 49 anos.

IGREJA DE SÃO PEDRO DE JURUJUBA
A pequena Igreja de Nossa Senhora da Conceição e São Pedro de Jurujuba foi fundada no século XIX pelos Carmelitas que por aqui passaram. Pela acolhida que receberam, os Carmelitas resolveram construir uma igrejinha de madeira e oferecer a comunidade em gratidão. O nome foi dado devido no século VIII por haver uma grande veneração a Nossa Senhora da Conceição também. Todo dia 29 de junho é celebrada a festa desse grande mártir e pilar da Igreja Católica que é São Pedro. A primeira procissão terrestre ocorreu 1901, feita pelos pescadores em torno da igreja. Devido a uma grande pesca de camarão, por volta de 1923 surgiu a primeira procissão marítima em homenagem a São Pedro. Foi liderada pelo comandante Aragão, Ernani e Sacadura, envolvendo os pescadores do local. No início o único barco que possuía motor era a do Comandante Aragão, e os outros eram canoas ainda a remo, que davam voltas pela enseada. A Festa de São Pedro foi tombada como Patrimônio Cultural da Cidade de Niterói.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 19 =