Prefeitura realiza visita técnica no ‘Prédio da Caixa’

Agentes da prefeitura de Niterói fizeram uma visita técnica aos apartamentos do Edifício Nossa Senhora da Conceição, na Avenida Amaral Peixoto, Niterói, na manhã de quinta-feira (18). O objetivo era fazer uma avaliação dos imóveis visando a desapropriação e a transformação do prédio em moradia popular. Agentes da secretaria municipal de Habitação e Regularização Fundiária tinham como objetivo avaliar as condições físicas do edifício. Em uma próxima ocasião, serão mensurados os valores das unidades para o processo de pagamento das indenizações aos antigos proprietários.

Lorena Gaia, presidente da associação dos moradores do prédio e uma das fundadoras do movimento Prédio da Caixa Vive, acompanhou a abertura do prédio e o início da vistoria realizada pela prefeitura ao ser autorizada pela Justiça e a Procuradoria, mas que não foi autorizada a retirada dos pertences dos antigos moradores que ainda estão retidos no prédio.

“A gente vai tentar aproximar a relação com o governo para garantir que os antigos moradores retornarem aos seus apartamentos. Antes disso, vamos solicitar a retirada de nossas coisas e vamos tentar resolver isso o mais rápido possível”, afirmou Lorena defendendo que após a desapropriação, os ex-moradores devem ter preferência em retornar aos seus antigos apartamentos.

Em nota, a Secretaria Municipal de Defesa Civil e Geotecnia informou que não foram observadas anomalias que indiquem risco iminente para a estrutura do bloco até o momento. Foram verificados sinais de má conservação, riscos associados às instalações elétricas e insalubridade. Com isso, outras vistorias serão necessárias para entrar e fotografar o estado de cada uma das mais de 300 unidades.

Recordando

Os moradores do Edifício Amaral Peixoto, conhecido como “Prédio da Caixa”, sofreram uma ação de despejo determinada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ),no dia 7 de junho de 2019. A ação contou com 50 policiais militares, 50 guardas municipais, 40 civis e dezenas de funcionários da Prefeitura de Niterói.

Ao todo mais de mil pessoas foram atingidas com o despejo que foi marcado por gritos, pedidos de socorro, súplicas e até uma tentativa de suicídio em forma de protesto. Muitas pessoas passaram mal e precisaram de atendimento médico. Vários moradores foram levados para um centro de acolhimento da prefeitura.

Ainda na manhã do despejo, ocorreu dois princípios de incêndio e o prédio precisou ser evacuado pouco antes das 11 horas pelo Corpo de Bombeiros. Assim, muitos pertences dos moradores não puderam ser retirados e dos apartamentos do edifício. Depois disso, a portaria do prédio foi lacrada e desde então os antigos moradores não conseguem retirar muitos dos seus pertences.

Marcelo Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 9 =