Prefeitura oferece abrigo temporário a pessoas em situação de rua e a animais de estimação

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária (SMASES) vem realizando, desde a última quarta-feira (28), uma ação de abordagem nas ruas por causa da recente onde de frio. Ao todo, 62 pessoas já foram acolhidas. Dessa vez, os animais também receberam um local especial para ficarem enquanto os donos estão acolhidos nos equipamentos da prefeitura. Três cãezinhos estão sendo cuidados e alimentados, uma parceria feita com a Coordenadoria Especial de Direitos dos Animais.

O Secretário de Assistência Social, Vilde Dorian, reforçou que a ação é feita diariamente e, com essa onda de frio, foi intensificada para oferecer acolhimento.

“Nossa equipe tem percorrido todas as regiões da cidade nos últimos dias, em um trabalho intenso. A partir de amanhã, os que foram acolhidos de forma emergencial passarão pelo atendimento técnico e poderão permanecer em nossas unidades se assim desejarem. Nosso trabalho é diário e a equipe continua nas ruas”, declarou.

No sábado (31), equipes do Consultório na Rua estiveram nas unidades para examinar os acolhidos. No local, mediram a pressão arterial e fizeram o exame rápido de glicose, além de uma avaliação do estado geral e encaminhamentos necessários para atendimentos específicos.  O trabalho é realizado constantemente com as pessoas em situação de rua da cidade. A estrutura é voltada à atenção integral à saúde desse grupo, considerando suas diferentes necessidades.

A ação contou com 18 funcionários da Secretaria de Assistência Social nas ruas da cidade nos três turnos. Na equipe, técnicos, assistentes sociais e psicólogos faziam abordagem das pessoas que estavam nas ruas para oferecer acolhimento. É importante ressaltar que a secretaria não atua de forma compulsória, conforme determina a legislação brasileira. A adesão aos serviços ofertados deve ser voluntária. A ida e a permanência nas casas de acolhimento não são compulsórias.

Nesta segunda-feira (02), os acolhidos que demonstrarem interesse em permanecer nos equipamentos de forma permanente, passarão por avaliação da equipe técnica das unidades de acolhimento e os demais serão encaminhados ao Centro Pop para atendimento especializado.

Niterói possui uma rede de atendimento para população em situação de rua que conta com equipes de abordagem social especializada, Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) e cinco unidades de acolhimento (abrigos). A Secretaria ampliou as vagas em acolhimento com a contratação de hospedagem em hotel – aumento de 60% das vagas. Os hotéis e centros de acolhimento têm, juntos, 190 vagas para pessoas em situação de rua. O projeto de acolhimento emergencial em Hotel Popular, desde a sua contratação em abril de 2020 até julho de 2021, já atendeu 1.134 pessoas em situação de rua.

Nas unidades de acolhimento, as pessoas recebem atendimento de assistentes sociais, psicólogos e orientação jurídica, encaminhamento para serviços de saúde, trabalho e renda e documentação civil. O objetivo principal é construir com os acolhidos um trabalho que culmine na sua autonomia e reinserção social. A organização desses serviços garante privacidade, o respeito aos costumes, às tradições e à diversidade de ciclos de vida, arranjos familiares, raça/etnia, religião, gênero e orientação sexual.

O programa de recambiamento também representa importante alternativa, uma vez que possibilita que a pessoa em situação de rua resgate vínculos comunitários e familiares com sua terra natal e custeia o retorno ao seu estado de origem. De acordo com a legislação brasileira, a ida e a permanência nas casas de acolhimento não são compulsórias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × dois =