Prefeitura de São Gonçalo interrompe festa clandestina

Alan Bittencourt

Apesar da escalada no número de casos e mortes por conta da pandemia de Covid-19, muitas pessoas simplesmente ignoram as normas de segurança. E ignoram também as medidas de restrição de circulação, como em São Gonçalo. Na noite do último domingo, a Prefeitura de São Gonçalo interditou a casa clandestina de eventos Recanto da Pedra, na Rua Maurício de Abreu, em Neves. Ao chegar ao local, foram encontradas mais de mil pessoas aglomeradas durante um show de pagode.

O flagrante aconteceu por volta de 21h, de acordo com a Prefeitura de São Gonçalo. A casa estava completamente à margem da lei: funcionava em horário proibido, está em situação irregular e sem alvará de funcionamento ou licença para realizar eventos.

O responsável pelo evento “Resenha do VH”, que alugou o imóvel, foi multado. A prefeitura interditou o bar e o público foi orientado a deixar o local, o que ocorreu de forma pacífica.

Todos foram orientados a deixar o estabelecimento, que não tinha alvará de funcionamento. A Prefeitura interditou e multou a casa de shows.

Também em Neves, um bar vizinho à casa interditada também estava lotado também recebeu notificação por funcionar em descumprimento ao decreto que determinou o fechamento de bares e restaurantes da cidade às 18h. O decreto tem validade até a próxima quinta-feira, dia 11 e estabelece medidas para reduzir a transmissão do coronavírus.

O secretário municipal de Ordem Pública, Major David Ricardo Gonçalves Costa, acompanhou a ação integrada e esclareceu que as fiscalizações terão continuidade ao longo desta semana. Segundo ele, as medidas têm por objetivo proteger a vida dos gonçalenses neste momento em que a pandemia da Covid-19 vem causando um número maior de mortes em todo o país.

“Nos últimos dias, não tivemos maiores problemas em garantir o cumprimento do decreto. A maioria das pessoas está entendendo a necessidade de obedecer as regras de não aglomeração. O que vimos hoje aqui é um total desrespeito à vida e não iremos permitir que estas festas clandestinas continuem a ser realizadas”, garantiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =