Prefeitura de Niterói publica edital para realização de obra em túnel no Tibau

Finalmente a obra de desobstrução do túnel do Tibau, que liga a Praia de Piratininga e a Lagoa, está mais perto de sair do papel. Após o impasse entre a Prefeitura de Niterói e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) sobre quem é responsável dobre a obra, novas informações foram publicadas no Diário Oficial do município. Está agendado para dia 10 de julho, às 10h, o processo de licitação para tomada de preço e contratação da empresa especializada para a realização das melhorias. A intenção é reestabelecer o fluxo hídrico entre lagoa e mar que está obstruído desde início de 2019.


A obra ficará a cargo da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão (Seplag) e o edital está pronto. A Prefeitura de Niterói vai custear o projeto que ficou orçado em R$ 1,3 milhão e terá duração de seis meses. O novo Administrador Regional da Região Oceânica, Rubens Branquinho, contou que essa obra será uma vitória para o bairro.

“Estamos esperando há muito tempo essa obra. Estamos muito felizes e essa desobstrução vai ajudar muitos pescadores. A renovação da água é muito importante para todos”, frisou.

O processo de licitação será através da Comissão Especial de Licitação e será realizado no Auditório da Defesa Civil, no Centro de Niterói. O gestor do Sistema Lagunar da Prefeitura de Niterói, Luciano Paez, contou que ao todo serão retirados 100m³ de rochas.

“A renovação das águas, que antigamente se fazia de forma natural, por conta da expansão urbana da Região Oceânica, sobretudo a partir de 1980, precisou ser alterada. E assim através de uma obra do governo do Estado, o túnel foi criado. O problema é que estas trocas foram comprometidas com a queda de rochas do interior deste túnel no ano de 2019. A Prefeitura no dia 24 de junho publicou uma tomada de preço para contratar empresa para realizar o desmonte das rochas e assim restabelecer o fluxo hídrico. E também uma construção de elaboração de proposta definitiva para a estabilização do túnel. Esta obra é muito importante para restaurar o ambiente não só de Piratininga quanto também da lagoa de Itaipu”, explicou.

Na semana passada uma grande quantidade de peixes mortos na Lagoa de Piratininga trouxe o assunto da obra de desobstrução à tona. Na ocasião o Inea comentou que estaria em processo de licitação da escolha da empresa que fará a desobstrução e a obra está prevista para ser realizada até o final de setembro. O instituto ainda contou detalhes como a intervenção que prevê a retirada das pedras que despencaram do teto do túnel, ao longo de sua extensão, prejudicando a troca de água da lagoa com o mar, e afetando a oxigenação do ecossistema lagunar.

Questionado novamente sobre essa responsabilidade, o Inea reconheceu em nota que a Prefeitura de Niterói será a responsável pela retirada das pedras que estão bloqueando o fluxo de água do túnel. Sobre a mortandade de peixes o órgão também se posicionou e disse que a vistoria realizada na última quarta-feira (17), constatou que a mortandade de peixes foi ocasionada pela queda dos níveis de oxigênio, associada à entrada de uma frente fria que revolveu o fundo desse ecossistema lagunar. O órgão ambiental estadual continuará avaliando a situação da lagoa com o objetivo de acompanhar as condições da água desse corpo hídrico.

No início de 2019 parte do túnel desmoronou e os sedimentos impedem a renovação da água, o que afeta dezenas de pescadores que usam a pesca como sustento. A obra do túnel foi feita pelo Inea e entregue em 2007 e cerca de 70 famílias vivem da pesca na localidade e a qualidade da água é fundamental para essa prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 15 =