Prefeitura de Maricá suspende aulas após suspeita de caso de meningite

Wellington Serrano –

As aulas na Escola Municipal Valéria Passos, em Itaipuaçu, distrito de Maricá, continuam suspensas nesta sexta-feira (26) e o município reitera que está seguindo rigorosamente o protocolo previsto pelo Ministério da Saúde depois dos casos suspeitos de meningite bacteriana que apareceram na cidade. A Secretaria de Saúde, através de nota, disse que vai dar todas as orientações ao corpo escolar e familiares.

Depois da discussão entre os vereadores no plenário da Câmara sobre a morte de uma criança de 5 anos, supostamente pela doença, a Prefeitura de Maricá esclareceu que nenhum paciente com suspeita de meningite deu entrada no início da semana na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Inoã ou em qualquer outra unidade de Saúde municipal.

No entanto, a Secretaria de Saúde acrescentou que fez uma ação de bloqueio com medicação dos alunos e professores, além dos familiares que tinham contato com o menino que morreu com suspeita de meningite bacteriana.

Os vereadores Filippe Poubel (DEM) e Ricardinho Netuno (PEN) pediram atenção da Secretaria de Saúde para uma possível epidemia. Já Felipe Auni (PSD), presidente da Comissão de Saúde, explicou que a Secretaria de Saúde investiga mais um caso suspeito envolvendo uma criança de 1 ano e 11 meses.

“Estive na escola onde o garoto estudava e vi muitas mães preocupadas sem saber o que está acontecendo e reclamando da falta de informações. É um caso muito preocupante”, disse Netuno, que participou de uma reunião com a Vigilância Epidemiológica na escola. “As mães presentes se sentiram muito fragilizadas porque apenas a turma desse menino recebeu antibiótico para ajudar na imunização. As turmas ao lado que encontraram a criança não tiveram assistência”, afirmou.

Felipe Auni, presidente da Comissão de Saúde, leu em plenário um ofício enviado pela Secretaria de Saúde sobre o caso. “Foi acordado que seriam feitas orientações e esclarecimentos sobre meningite. Os responsáveis pela escola contataram os pais para irem ao local com carteiras de vacinação para avaliação da equipe. Foi feita medicação de bloqueio em 20 alunos e três professores”, assegurou.

A demora na divulgação do resultado do exame de sangue despertou a preocupação de Filippe Poubel. “Doze horas depois da entrada é que foram diagnosticar uma suspeita de meningite. Os exames de sangue da nossa cidade estão sendo executados em outro município”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *