Prefeitura de Búzios paga R$ 17 mil por palestra racista

O racismo, por si só, é um ato repugnante e legalmente reprovado. E quando se pressupõe que esse tipo de conduta já tenha ultrapassado os limites do improvável, o município de Búzios nos apresenta à uma nova modalidade desta crueldade humana: a do racismo patrocinado com recursos públicos.

Isso aconteceu na Armação de Búzios, na quinta-feira (22), durante uma palestra de Dalmir Sant’Anna, que foi contratado pela Prefeitura de Búzios por R$ 17 mil. A atividade foi online e organizado pela Secretaria Municipal de Educação de Armação dos Búzios e a empresa “Instituto Conhecer”, para falar sobre o tema “Educação em tempos de pandemia”, e estava sendo assistida por professores.

Dalmir usou uma máscara e uma peruca e, ao som da música Retirantes, de Dorival Caymmi, falou sobre pessoas que reclamam de trabalhar. “A felicidade muitas vezes incomoda muitas pessoas que estão do seu lado. Experimenta chegar feliz. Sempre tem alguém torcendo ‘é, vamos ver até quando vai durar essa felicidade’. Temos que acreditar, que infelizmente encontramos pessoas desanimadoras, pessoas tristes e pessoas que gostam de reclamar de tudo”. Nesse momento ele se caracterizou e fez uma imitação de uma pessoa reclamando “Lá vou eu. Trabalhar, trabalhar…”, embalado pelo som da trilha sonora da novela Escrava Isaura. Ele retirou a máscara e a peruca e continuo o discurso: “tem pessoas que teriam tudo para trabalhar dentro de um trem fantasma e não precisava nem de máscara”.

O “Instituto Conhecer” explicou que repudia veementemente qualquer tipo de preconceito, seja de raça, credo, gênero, orientação sexual, assim como qualquer tipo de violência física ou mental. Nos desculpamos com todos profissionais da educação da rede municipal de Armação dos Búzios, que se sentiram ofendidos com o conteúdo da live da manhã do dia 22, para a Secretaria de Educação de Armação dos Búzios. Reafirmamos nosso compromisso com a defesa e o combate a toda forma de discriminação e desrespeito ao ser humano.

PREFEITURA EMITE NOTA

A Prefeitura de Búzios informou que a Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, vem a público repudiar veementemente todo e qualquer ato de discriminação racial, e de intolerância que por ventura tenha ocorrido durante um encontro dos profissionais da educação de 2021. Tal prática seria inaceitável e sempre será firmemente combatida por esta instituição; afirmamos também a necessidade de eliminarmos a discriminação racial em todas as suas formas de manifestações explícitas e/ou implícitas e nos comprometemos com a luta para assegurarmos a compreensão e o respeito à dignidade de todos.

A secretaria jamais deixará de se pronunciar diante de situações deste gênero e não poupará esforços para combater quaisquer ações que venham ofuscar as recentes conquistas educacionais e sociais dessa gestão, que preza pelo princípio democrático e estará sempre aberta a críticas construtivas. Somente desta forma poderemos construir uma educação de excelência tão almejada por nós profissionais educadores, pais e alunos.

SEPE SE POSICIONOU

O Sindicato dos Profissionais de Educação (Sepe Lagos) divulgou uma nota de repúdio sobre o ocorrido através da nota: “nós trabalhadores da educação de Armação dos Búzios, em conjunto com ativistas e militantes de entidades, manifestamos nossa indignação pelas posturas e comentários de teor racista, machista e anticientífico proferidos pelo palestrante Dalmir Sant’anna. Em momento algum da live, que teve duração de 1 hora e 47 minutos, o comunicador efetivamente tratou do tema “Educação em tempos de pandemia”, assunto sobre o qual ele estaria incumbido de — e sendo remunerado para — abordar. Nós esperávamos que o palestrante tratasse da crise sanitária atual, das medidas necessárias para o retorno das aulas presenciais de forma segura para profissionais da educação e alunos; e quais, neste contexto, as dificuldades e possibilidades para a viabilização do ensino remoto nas escolas situadas principalmente em áreas mais carentes do município, ou ainda que falaria sobre as ações que a prefeitura está tomando para garantir aos alunos e aos profissionais da educação auxílio na aquisição de dispositivos digitais e conectividade para viabilização de maior interatividade nas atividades remotas. Em contrapartida, a palestra se restringiu, ao uso insistente de frases de efeito, com ênfase em criar a já tão propalada falsa narrativa de que ‘servidores públicos reclamam demais’, inclusive fazendo trocadilho com a própria palavra, servidor”.

Ainda de acordo com o texto em toda sua intervenção individualizou os problemas estruturais do sistema de ensino municipal, reduzindo-os, todos a uma suposta “falta de motivação pessoal” dos trabalhadores da educação. Em vários momentos insinuou que a questão central era a “preguiça” dos profissionais e não o fato de estarmos submersos numa crise pandêmica sem precedentes, e afirmou que se fôssemos mais “dispostos”, “assertivos” e tivéssemos mais “vontade de trabalhar” tudo se resolveria como “mágica”. O ponto mais insultuoso da mal chamada “palestra” foi quando o sr. Dalmir colocou uma peruca black power e uma máscara de borracha que caricaturava um fenótipo negro, desqualificando-o como algo ligado a quem é preguiçoso, não gosta de trabalhar e vive reclamando, demonstrando nitidamente uma atitude racista, com o aval dos componentes da Secretaria de Educação, que acompanhavam a palestra e em nenhum momento consideraram o fato, inclusive ignorando os apelos feitos por educadores nos comentários da transmissão. O mais inaceitável se traduz no fato de tratar-se de palestra com supostos fins educativos.

One thought on “Prefeitura de Búzios paga R$ 17 mil por palestra racista

  • 26 de abril de 2021 em 15:47
    Permalink

    Nota de esclarecimento e pedido de desculpas

    Com humildade, estendo as minhas mãos, como um gesto de respeito, pedindo perdão a todos e para todas as pessoas que se sentiram magoadas, tristes, ofendidas e aborrecidas comigo.

    Como um homem temente a Deus que sou, jamais em hipótese alguma, tive intenção de provocar discórdia ou ofensas na “live” apresentada na manhã no dia 22 de abril de 2021, à Secretaria Municipal de Educação de Armação dos Búzios.

    Desta maneira, venho a público, manifestar que repudio qualquer tipo de preconceito, seja de “black face”, credo, gênero, orientação sexual, raça, assim como qualquer tipo de violência física ou mental.

    Reitero e ratifico o meu compromisso de defesa e o contínuo combate a toda forma de discriminação e desrespeito ao ser humano.

    Uma vez mais, manifesto minhas desculpas e o meu pedido de perdão para as pessoas se sentiram magoadas, tristes, ofendidas, infelizes e aborrecidas para comigo.

    Respeitosamente, Dalmir Sant’Anna

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 5 =