Prédio da Câmara Municipal de Niterói passa por restauração

Raquel Morais –

O prédio histórico da Câmara Municipal de Niterói está sendo restaurado desde dezembro de 2018. Quem passa pela Avenida Amaral Peixoto, no Centro, poderá ver uma equipe de restauradores pendurados em andaimes consertando as esculturas que estão desgastadas pela ação do tempo. As estátuas “A Ordem” e “O Progresso”, os leões do portão principal e os dragões dos postes de ferro fundido estão sendo recuperados, assim como a pintura da fachada e laterais do prédio, datado de 1917.

O restaurador responsável por uma equipe, Luiz Fiorin de 54 anos, teve a incumbência de consertar as esculturas do prédio, tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) em 26 de janeiro de 1983. Ele explicou que a manutenção desse tipo de arquitetura deveria ser feita de cinco em cinco anos, tempo em que as ações naturais, como chuva, sol, poluição e vento danificam as peças.

“Alguns problemas são visíveis e outros não. E tudo tem que ser feito com muito cuidado e atenção para não modificar a peça, por ser um bem tombado. As estátuas foram lavadas para serem retiradas as tintas e aí sim fazer a recuperação”, contou.

Essa parte contou com uma técnica chamada hidrojateamento e agora estão sendo feitos os preenchimentos com argamassa, como já foi feito nas estátuas “A Ordem” e “O Progresso” (do artista italiano Hugo Tadei). Os dragões dos postes instalados na entrada de veículos da Câmara também estão passando pelo restauro.

“Ao tirar a tinta percebemos como essas peças estão danificadas. Já achei uns bigodes nos dragões que não estavam aparecendo e as unhas também voltaram a ficar expostas. Vou reconstruir a língua de alguns, as patas e tudo que estiver faltando. Depois é só pintar e deixar na cor original”, completou Luiz que disse que até 15 de março as esculturas estarão finalizadas.

A filha de Luiz, Naila Fiorin, 25 anos, cresceu vendo o pai fazendo restaurações em todo o Rio de Janeiro e se apaixonou por essa arte.

“Nós fazemos um pouco de tudo mas hoje [ontem] foi dia de preencher algumas falhas na estátua ‘A Ordem’. Tudo tem que ser feito com perfeição e calma para manter o projeto original”, completou a restauradora que ensinou o ofício ao marido, Leandro Marins, de 29 anos.

Além do trio, outra equipe é responsável pela pintura da fachada e laterais do prédio, parte do conjunto urbanístico da Praça da República. O também restaurador Maurício Dantas, 41 anos, disse que a sua parte está sendo feita desde dezembro de 2018 e a previsão do projeto é de quatro meses de intervenção.

“Não fazemos somente a pintura, temos que reconstruir alguns pontos que são quebrados, consertar algumas ferragens expostas e todas as imperfeições encontradas nas paredes”, contou o responsável pela equipe que tem nove pintores e mais três restauradores.

Autonomia elétrica – Um gerador de energia, adquirido e instalado pela Câmara de Vereadores sob supervisão de técnicos da Enel, evita a paralisação dos trabalhos durante a interrupção do fornecimento de luz. O objetivo do novo equipamento é evitar os apagões frequentes nessa época do ano e reduzir o consumo de energia. Diariamente, às 17 horas, a subestação será desligada e toda a luz fornecida à Casa virá do gerador. Programado com automação total ele volta a funcionar no dia seguinte, às 7 da manhã

“A interrupção dos trabalhos nas sessões plenárias e audiências públicas causam transtornos há muito tempo. Esperamos que o novo equipamento possa resolver o problema e, ao mesmo tempo, faremos com que nossa conta de luz seja reduzida consideravelmente”, conta o presidente Milton Cal.

HISTÓRIA DO PRÉDIO
De acordo com o Departamento de Proteção do Patrimônio Cultural (Depac) a Câmara Municipal de Niterói foi inagurada em 1° de agosto de 1917, como sede da Assembléia Legislativa até 1975. É uma das edificações que compõem a Praça da República, conformando um centro cívico, juntamente com a Delegacia de Polícia Civil, o Fórum, o Liceu Nilo Peçanha e a Biblioteca Estadual. Sua arquitetura é monumental unindo traços neoclássicos ornamentação característica do final do ecletismo. A fachada principal, inspirada num templo romano, possui seis colunas e um frontão triangular de ornamentação simples, onde se vê pintado o brasão do Estado do Rio de Janeiro. A entrada se faz por cinco grandes portas em arco pleno precedidas por ampla escadaria, onde duas esculturas, do italiano Hugo Tadei, representam a ordem e o progresso. Na calçada, dois sólidos pedestais sustentam dois leões de cimento. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × três =