Preço de medicamentos sofrerá reajustes em abril

Geovanne Mendes –

Abril vai começar com uma notícia que vai pesar o bolso do consumidor. Os medicamentos serão reajustados em 4,76%, é o que afirma a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma). Esse aumento tem como base a inflação de fevereiro divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dona de uma drogaria no Centro de Niterói, Dezirrè Guimarães, de 30 anos, diz que os reajustes já começaram na compra direta com os laboratórios e indústria farmacêutica e que o desconto progressivo será a única forma de tentar não atingir de imediato os consumidores.

“O governo federal deve anunciar os índices oficiais de aumento permitido no preço dos remédios a partir de abril. Vamos comprar em grande quantidade pra obter bons descontos, só assim não precisaremos jogar na mão do consumidor mais este aumento de preços. Diferente do que ocorreu ano passado, quando o governo informou uma única faixa de reajuste de até 12,5%, agora deve haver outras duas faixas, com aumentos de 3,06% e 1,36%. Genéricos estão no grupo de remédios com reajuste superior e medicamentos com patente, na outra ponta”, conta a empresária.

Quem não está gostando muito desta história é a aposentada Zilene de Oliveira, de 72 anos, que toma remédios de uso contínuo.

“A gente não sabe onde vai parar, né? Eu preciso comprar meus remédios pelo menos duas vezes ao mês e, com esse aumento, a minha aposentadoria que já é pequena vai pelo ralo. Um absurdo com os aposentados do Brasil”, comentou.

“Sinceramente, nem sei o que dizer. É aumento atrás de aumento, agora mesmo estou fazendo pesquisa de preço porque preciso comprar diversos medicamentos pra minha casa. Bate um desespero”, disse a técnica de enfermagem Cida Pereira.

Entre 2005 e 2016, a indústria farmacêutica teve permissão para aumentar em até 77% o preço dos medicamentos, comparável a 103% de variação do IPCA. Em nota, o Procon orienta o consumidor a buscar alternativas e encontrar a melhor forma de adquirir o medicamento que utiliza, seja fazendo pesquisa de preços ou solicitando ao seu médico que prescreva um similar ou genérico, cujo preço caiba em seu bolso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *