“Precisamos tirar os servidores do limo”, diz deputado Bruno Dauaire

O deputado estadual Bruno Dauaire (PSC), 34 anos, disse, em entrevista durante visita à redação de A TRIBUNA, que trabalha na criação de um ‘disque-assédio’ para funcionários públicos do estado. Representante das regiões Norte e Noroeste fluminense e na Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Dauaire também falou sobre seu segundo mandato e seu trabalho na Comissão de Segurança Pública e sobre o lançamento também de uma frente parlamentar para tratar do desaparecimento de pessoas. Segundo ele,

De acordo com o deputado, que é o presidente da Comissão dos Servidores da Alerj, a proposta é oferecer um canal para apurar denúncias relacionadas à coação moral, assédio sexual e psicológico, discriminação racial e de gênero em ambientes do funcionalismo público estadual.

“Queremos criar uma ponte entre a categoria e a Alerj. Esperemos que, protegidos pelo sigilo, os funcionários públicos possam fornecer à comissão informações que facilitem nossa fiscalização e até mesmo a necessidade de elaboração de leis que atendam aos servidores”, afirmou Dauaire.

Segundo ele, chegou a hora de se fazer a humanização da relação do servidor, (que sofre com as perdas salariais), com o governo. “Para combater essa prática, vamos lançar uma cartilha com orientações para ajudar e esclarecer os profissionais assediados. Esse assunto foi discutido numa audiência pública com a Associação dos Servidores e a viabilização de um canal está sendo elaborado o projeto de resolução que irá garantir o respeito e a dignidade humana. A ideia dos integrantes da comissão é que o atendimento seja feito por um número 0800 e também via Whatsapp. Depois de criada, a proposta será submetida à votação no plenário”, disse o deputado.

Entre suas atuações na Alerj o parlamentar destaca que é contra o projeto de lei que quer acabar com o regime aduaneiro especial Repetro no Estado. “Por decreto do governo estadual, o Rio de Janeiro aderiu ao Repetro, cujo prazo foi estendido até 2040. Mas esse projeto de lei estadual, em trâmite na Casa, prevê que o regime especial seja aplicado apenas para a área de exploração – a mudança implicaria, na prática, em cobrança de impostos sobre a importação de equipamentos na atividade de produção”, lamentou.

Bruno Dauaire tem atuado em algumas frentes e no momento destaca que está de frente para tratar do desaparecimento de pessoas. “Quero dar visibilidade a um tema que é invisível”, ressaltou.

PERFIL — Acostumado a tentar fugir de polêmicas e polarizações, Bruno Dauaire (PSC) é tido pelos colegas como um dos deputados que melhor se relaciona em todos os ambientes e partidos da Assembleia do Rio. Advogado, ele é líder do PSC, mesmo partido que o governador do Rio, Wilson Witzel. Bruno aprendeu política desde pequeno. Seu avô, Alberto Dauaire, obteve 11 mandatos consecutivos – três como vereador de São João da Barra, um de prefeito e sete vezes como deputado estadual. Seu pai, Betinho Dauaire, foi prefeito de São João da Barra por dois mandatos consecutivos, entre 1997 e 2004. Bruno tem forte atuação nos municípios de São João da Barra, mas mantém relações mais estreitas em Campos dos Goytacazes, cidade onde escolheu para morar com a mulher e as duas filhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 2 =