Praias de Maricá estão imundas e sem lixeiras

Aline Balbino

Falta conscientização e lixeiras nas praias de Maricá. Com praias lotadas nesse período do ano, é comum um acúmulo de lixo. No entanto, algumas como Itaipuaçu e Barra estão abarrotadas de excrementos. Não bastassem as garrafas pet, sacolas plásticas e latas de refrigerante há restos de animais mortos e materiais de rituais religiosos. Muitos banhistas reclamam, inclusive, de falta de lixeiras. Visivelmente a Praia da Barra não tem local adequado para armazenar lixo, nem mesmo na orla.

“A gente vem para a praia e precisa disputar a areia com lixo. Tem muita sujeira aqui. E até resto de ritual religioso. Olha que nojo. Tem galinha morta. Isso é crime ambiental e precisa de punição. Até acho que cada um segue a religião que quer, mas tudo tem limites, não é?!”, questionou a secretária, Ana Carla Mendes, de 36 anos.

A Prefeitura de Maricá informou que as equipes de varrição trabalham regularmente em toda a orla. Cabe ressaltar que são 46 quilômetros contínuos de costa, o que exige esforço extra de todo o pessoal envolvido. Para 1º de janeiro, um esquema especial foi montado para a retirada de lixo e varrição das praias, com equipes da Secretaria Municipal Executiva de Infraestrutura atuando a partir das 5 horas. A previsão é a de encerrar o trabalho às 11h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *