Pousada em Búzios é multada por despejo irregular de esgoto

A Pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Secretaria de Meio Ambiente de Búzios interditou parcialmente uma pousada na Ferradura por lançar esgoto no costão rochoso e no mar na última segunda-feira (30). A ação contou com o apoio de dois fiscais ambientais e dois agentes da Guarda Marítima Ambiental e do Secretário de Meio Ambiente, Fernando Savino. A pousada terá que pagar uma multa de cerca de R$ 100 mil pela ligação clandestina.

Ao chegar ao local, os agentes constataram a existência de ligações de duas unidades em tubulações que faziam esse despejo de esgoto e água servida, que são águas do uso de piscinas, máquinas de lavar, entre outros, direto para o costão rochoso e o mar. A pousada responsável pelo crime ambiental só poderá voltar às atividades mediante a adequação exigia para o tratamento do esgoto.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente é muito importante a participação e conscientização da população para denunciar.

“O nosso trabalho está sendo intensificado a cada dia, hoje mesmo, já foram duas ações de fiscalização no município, as duas feitas por denúncia”, afirmou o secretário.

Prolagos é multada
Na manhã de terça-feira (1), fiscais da secretaria de Meio Ambiente constataram o despejo de esgoto na orla de Manguinhos, em frente a rua Rancho Mutã. Acionada pelo município, a concessionária Prolagos enviou agentes ao local, onde foi observado o acúmulo de esgoto na rede que segue para a Estação de Tratamento (ETE) da concessionária. Um problema de ordem técnica que não é novidade para moradores, banhistas e secretaria de Meio Ambiente. De acordo com os fiscais, já existe processo na Prefeitura sobre o problema que é recorrente no local, e a empresa será multada mais uma vez. O auto de infração será publicado no Boletim Oficial, e por se tratar de um fato recorrente, a multa será de aproximadamente 320 mil reais.

A Prolagos esvaziou a rede com um caminhão de sucção de esgoto e deverá apresentar solução técnica definitiva para o problema. Denúncias de moradores também levaram os fiscais de Meio Ambiente a flagrarem mais três infrações na praia de Manguinhos. Duas casas situadas de frente para o mar possuíam canos instalados na areia da praia para despejo de água de piscina, uma prática condenada que configura crime ambiental. Somado a este fato, uma das casas recebia obras de reforma e acréscimo de estrutura, sem o documento de licença da Prefeitura. As casas foram autuadas e a obra embargada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − dez =