Porto da Pedra entra com pinta de Campeã na Sapucaí

Foram dois anos de espera por causa da pandemia da Covid-19, mas na madrugada desta quinta-feira (21), São Gonçalo voltou a ser representada na Marques de Sapucaí. Com expectativa de acesso, a Unidos da Porto da Pedra foi a quarta escola a desfilar pela Série Ouro.

O enredo “Caçador que Traz Alegria” contou a história da líder religiosa e defensora da cultura negra Mãe Stella de Oxóssi. O desfile é assinado pela carnavalesca Annik Salmon.

Uma das integrantes mais animadas era a rainha de bateria Tati Minerato. Com longa estrada nós desfiles das escolas de samba de São Paulo e do Rio de Janeiro, ela falou sobre a emoção de voltar à Passarela do Samba.

A Rainha de Bateria Tati Minerato em destaque – Marcelo Feitosa

“Hoje eu estou com muito frio na barriga. É uma sensação diferente, depois de tudo o que a gente passou nessa pandemia. Poder estar aqui, celebrar a vida, é uma emoção”, disse Minerato.

O apoio dos gonçalenses também foi presenciado nas arquibancadas, que vibraram muito com a entrada de cada ala e alegoria da escola. Bandeirões e sinalizadora deram um clima de Maracanã a Sapucaí. O interprete Pitty Menezes disse que a expectativa do público é positiva para a escola.

“Emoção muito grande né, depois de dois anos de pandemia, agente poder pisar nesse solo sagrado. Voltar junto com nossa comunidade, meus amigos, ver essa arquibancada lotada, cantando e vibrando. E esse presente que a mãe Stella nos deu, com esse samba maravilhoso. Um samba que vai arrepiar a Sapucaí, vai emocionar, e a escola está vindo muito forte né. Carros maravilhosos, fantasias lindas. São Gonçalo veio e a responsabilidade aumenta. E vamos dar a resposta pra esse povo, pra quem veio torcer para a Porto da Pedra”, falou.

Mãe Stella apontando a flecha para o Tigre da Porto da Pedra na Comissão Técnica – Marcelo Feitosa

No entanto, apesar do samba empolgante, e cantado pela arquibancada, algumas falhas foram vistas na Comissão de Frente, que apagou no meio do Sambódromo. O carro abre-alas também teve problema mecânico, e precisou ser empurrado.

Apoio da Prefeitura de São Gonçalo

Presidente de Honra do Tigre, Fábio Montibello ressaltou o apoio da prefeitura do município para a agremiação. Segundo o dirigente, o enredo sobre Mãe Stella emocionou todos os componentes, que estão com o samba na ponta da língua.

Montibello ao lado de Douglas Ruas, e Capitão Nelson – Marcelo Feitosa

“A gente vai para dentro. O que dependeu da Prefeitura eles já fizeram, agora é com a escola. A expectativa é a melhor possível, a escola está com o samba na ponta da língua, o melhor samba da série, acho que o melhor do carnaval”, disse.

O prefeito da cidade, Capitão Nelson foi além: garantiu que a Porto da Pedra irá ganhar a Série Ouro.

“Temos certeza que todo o trabalho que o presidente da escola Fabio Montebello teve, os outros integrantes da escola tiveram, eu tenho certeza que a gente sai daqui com o campeonato na mão, independente do desfile de amanhã. São Gonçalo tem que estar representada no Grupo Especial”, afirmou.

A Porto da Pedra também foi destacada como uma das maiores expressões culturais de São Gonçalo. Pelo menos foi o que garantiu Douglas Ruas, ex-secretário de Gestão Integrada do Município, que valorizou a visibilidade que tanto a escola quando a cidade de São Gonçalo tem com os desfiles.

“Procuramos promover ações que pudessem ajudar a escola, entendendo que a Porto da Pedra é maior expressão cultural do município. É uma forma que São Gonçalo tem a chance de aparecer para o estado, para o Brasil e para o mundo. Então é mais do que justo que a prefeitura possa ser parceira da escola”, disse.

A Tribuna também conversou com dois moradores do município. Gilmar, de 56, que reside na Brasilândia, disse que frequenta a Sapucaí tem pelo menos uns 40 anos de vida. Mas destacou o apoio e a confiança na escola.

“Coração está a mil por hora .Essa pandemia derrubou todos nos. Com certeza vamos conseguir o acesso. Isso aqui é Tigre”, disse.

Margareth Silva, que mora no bairro que dá nome a escola de samba, compartilha do mesmo pensamento do conterrâneo. A gonçalense revelou que se arrepiou quando o Tigre entrou na avenida.

“Coração a mil, estava com muita saudades. Estou arrepiada. A Porto da Pedra representa tudo na minha vida, sou cria de lá. Espero que venha tudo de bom, em nome de Deus vamos subir”, concluiu.

Vítor d’Avila e Victor Andrade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.