Portadores de Síndrome de Down e autismo podem entrar no grupo prioritário

Marcelo Almeida

Pessoas portadoras de Síndrome de Down, autismo e deficiência intelectual podem ser incluídas no grupo prioritário para a vacinação contra Covid-19 na cidade de Niterói. A proposta veio a partir de uma indicação legislativa protocolada pelo Vereador Doutor Nazar (MDB) e que deve ser votada pelo plenário da casa nos próximos dias.

Nazar aponta que pessoas nessas condições possuem muitas alterações imunológicas decorrentes das dificuldades alimentares e de funções de estruturas orgânicas como o trato respiratório e o sistema imunológico.

“Pessoas com essas deficiências intelectuais têm uma dificuldade muito maior de seguir todos os protocolos de prevenção da Covid-19, como a manutenção do distanciamento social, de se autorregrar em relação a higienização constante das mãos. Isso aumenta muito a possibilidade de contágio”, afirmou.

Além da dificuldade dessas pessoas em seguir as regras sanitárias, portadores de Síndrome de Down podem ter uma tendência maior a terem complicações graves do Covid-19, desenvolvendo a forma mais grave da doença. Principalmente em crianças que já são naturalmente mais suscetíveis a infecções respiratórias. Já nos adultos com Síndrome de Down a obesidade é muito mais frequente, o que é visto como fator de risco principal para a doença.

“É raro termos um paciente de Síndrome de Down idoso. Isso porque, geralmente, essas pessoas morrem antes devido a complicações cardíacas ao longo da vida. Por isso é essencial seguir as recomendações de prevenção e vacinação para evitar a doença nesse grupo de risco”, colocou.

Mãe de uma autista de 14 anos, chamada Laura, a esteticista Carla Bianca de Souza Ribeiro, de 46 anos, vê com esperança a possibilidade de sua Laura ser incluída no grupo prioritário da vacinação em Niterói. Ela conta que tem sido muito difícil manter a filha, acostumada com passeios ao ar livre, trancada em casa.

“Minha filha não consegue usar máscara, pois não tem o discernimento sobre o que é usar ou não e fica o tempo todo tentando retirar a minha. Isso a deixa desprotegida, além de que ela fica bem nervosa com a falta dos passeios ao ar livre. Acho um absurdo que ainda não tenham incluído como prioridade”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 3 =