Por amor, Miss Brasil desiste do universo e anuncia noivado

Niteroiense Natasha Bellas optou por desistir da disputa internacional para se casar com o arquiteto Ricardo Costa

Vale a pena abrir mão de tudo para viver um amor? A pergunta parece roteiro de um filme ou novela, mas a niteroiense Natasha Bellas nem pensou ao ter que responder essa questão. Namorando há três anos o arquiteto Ricardo Costa, de 33 anos, a atual Miss Brasil foi pedida em noivado por ele. Mas sabia que teria que pagar um preço por isso. Segundo as regras tanto do concurso nacional quanto do Miss Universo, para o qual ela aguardava a disputa, nenhuma candidata pode ser casada. Muito menos ter filhos. Mas a moradora de Niterói preferiu ouvir o coração e desistiu da disputa internacional.

Já em relação à coroa brasileira, não haverá prejuízos, pois como ela foi escolhida em novembro do ano passado, o casamento só deve acontecer após o mesmo período de 2021. Sendo assim, ela deverá passar a coroa para a próxima miss normalmente.

Em conversa exclusiva com o jornal A Tribuna, Natasha explicou alguns aspectos da decisão. Ao contrário do que alguns pensam, a niteroiense afirma que não há proibição para uma miss ter um namoro, por exemplo. Mas que outros fatores motivaram essa mudança de rumos, como a indefinição da data da realização do Miss Universo e o fato de estar na idade limite da disputa, já que tem 30 anos atualmente.

“O Miss Universo, por causa da pandemia, não tem previsão de data e já foi adiado diversas vezes. Mesmo insistindo numa posição, continuei sem uma data. É claro que entendo a situação, mas como diria Cazuza “O tempo não para!” e com isso além de estar na idade limite para participação desse tipo de concurso, eu também completo um ano de reinado agora, por isso, optei por seguir minha vida e projetos como atriz e modelo. Sigo à disposição do concurso, mas como não tenho resposta, estou seguindo os meus planos”, explicou Natasha, que também é atriz.

Apesar de não haver restrições quanto a ter um namorado, a niteroiense admite que ela e o parceiro mantinham uma discrição na vida pessoal. Parte desse comportamento se deve a uma forma de vida que os dois têm, sendo que a miss também reconhece que o amado é “mais reservado ainda”.

Apesar disso, Natasha admite que conversou com ele sobre a união ser após o Miss Universo, mas que não pensou em outra coisa a não ser falar “sim” para o pedido feito pelo amado no dia 2 de outubro, na mesma data em que Ricardo fez aniversário.

“O Ricardo sempre me apoiou muito, tanto nos concursos quanto em tudo o que faço. Somos muito parceiros e estávamos conversando para o casamento ser após o concurso, porém como não temos uma previsão, e a vida não para, continuei realizando meus trabalhos como modelo e atriz, e o meu namorado me surpreendeu com um pedido lindo de noivado. Foi surpresa pra mim também e eu amei!”, conta emocionada.

Críticas às regras e aos estereótipos

Quando perguntada sobre o que pensa das normas rigorosas sobre os concursos de beleza, Natasha é direta. Afirma que a exigência por uma vida pessoal discreta era muito cansativa. Embora alegue que não tinha problemas com isso, a niteroiense reconhece que precisou pensar em estratégias para não ficar exposta em redes sociais. Além disso, critica a existência dessas restrições e afirma que é necessário que os organizadores mudem tal mentalidade. Para isso, exemplifica com outras questões que os próprios concursos de beleza extinguiram com o tempo.

“Infelizmente as misses não podem ser casadas, não podem ter filhos e a vida pessoal tem que ser o mais discreta possível, pois foi criado um estereótipo de perfeição ultrapassado. Eu penso que a mulher é livre, pode fazer o que quiser e a cada dia que passa estamos lutando mais por isso. Existiam outras regras que com o tempo foram mudando, com a ajuda do mundo da moda e depois com as redes sociais. Antes a miss tinha que ter 90 centímetros de busto, 60 centímetros de cintura e 90 centímetros de quadril, fazendo com que muitas perdessem o concurso por centímetros, mesmo tendo um ótimo potencial para representar o país, levando nossa cultura pro mundo, de forma justa e elegante. Mas hoje não é mais exigido essas numerações e sim o conjunto, desde que seja dentro de um padrão estabelecido no mundo miss ou no mundo da moda atual”, afirma

Miss Brasil perdeu título em 2003 por ser casada

Uma situação semelhante aconteceu em 2003. À época, a então Miss Brasil do ano anterior, a gaúcha Joseane Oliveira, foi destronada quando admitiu que era casada. A descoberta se deu pouco após ela ser eliminada do Big Brother Brasil de 2003 e a miss teve que passar a coroa para a segunda colocada da ocasião, a catarinense Thaíza Thomsen.

Natasha explica que não conhece a ex-Miss, mas gostaria de conversar com Joseane sobre o assunto para falar sobre esse aspecto do “mundo Miss”. E outra coisa que a niteroiense comenta é sobre a permissão em fazer intervenções cirúrgicas no corpo, mas não ter direito a uma vida matrimonial.

“Acho que a miss deveria ser uma beleza o mais natural possível e ser eleita por isso. Assim como isso mudou e muitos concursos não questionam as plásticas, que mudam completamente a pessoa, não vejo porque ter problema em a Miss ser noiva ou casada. É a vida pessoal dela, desde que ela não faça nada pra sujar a imagem do concurso, não acho que isso deveria ser impedimento em nada para competir. Mas quem sabe com o tempo isso venha a mudar também, assim como as plásticas e outras regras?!”, afirma em com esperançoso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − três =