Políticos repercutem a prisão de Moreira

Anderson Carvalho –

A prisão de Michel Temer e Moreira Franco pegou de surpresa o meio político de Niterói, onde Moreira iniciou carreira política, principalmente antigas e atuais lideranças do MDB local, que sempre teve forte influência. A maioria dos políticos ouvidos por A TRIBUNA considerou que a dupla, se cometeu erros, precisa acertar as contas com a Justiça. Já o ex-presidente da legenda, Heitor de Souza, considerou arbitrária a prisão de Moreira.
O vereador licenciado e atual secretário municipal de Habitação e Regularização Fundiária, Beto da Pipa (MDB), considera que quem deve, precisa acertar as contas com a Justiça. “Vou aguardar para ver. Moreira tem papel importante na história da cidade e do estado. Mas, se errou, tem que pagar”, afirmou.

O ex-vereador Wolney Trindade, que durante anos foi filiado ao MDB, quando este era ainda PMDB, concorda com Beto. “Conheci Moreira quando ele foi prefeito de Niterói. Depois, quando ele foi eleito governador e deputado, não o acompanhei mais. Não sei o que ele fez. Não acho que iriam prendê-lo sem uma evidência”, disse.

O ex-deputado estadual Sílvio Lessa, um dos fundadores do PSDB em Niterói e que concorreu contra Moreira pela Prefeitura de Niterói em 1977, elogiou a prisão. “Do ponto de vista político, eu lamento tudo isso. Mas, como cidadão, quero que a política seja passada a limpo. A velha política precisa dar lugar à política nova. Respeitar a vontade da sociedade. Eu não fiquei surpreso diante dos fatos anteriores”, comentou o tucano.

Já para Heitor de Souza, houve inversão do ônus da prova e a prisão de Moreira e Temer pode comprometer a aprovação da Reforma da Previdência no Congresso Nacional. “O juiz fez inversão do ônus da prova, quando a lei diz expressamente, que o ônus da prova é do estado acusador, ou seja, do Ministério Público. Onde já se viu isso??? Dificilmente as reformas da Previdência e quaisquer outras que dependam de quorum qualificado, serão aprovadas, porque PT, MDB, PDT, parte do PSDB, PSOL, Rede e PSB não vão votar”, analisou o emedebista.

Em entrevista à imprensa, ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Santiago, no Chile, o presidente Jair Bolsonaro disse que ‘cada um responde pelos seus atos’. “Cada um responde por seus atos, mas, está claro que a política em nome da governabilidade, feita no passado, não deu certo, não estava correta. O presidente em exercício, general Humberto Mourão, declarou que a prisão é muito ruim para o país e comparou o episódio com a prisão do ex-presidente Lula. “Eu já falei a respeito da mesma situação do presidente Lula. É muito ruim para o país ter um ex-presidente preso. Mas, agora seguem as investigações”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *